Round and Round in Circles Over Life...

29
Jan 07

Ora vamos cá quebrar o silêncio e o marásmo...

Pois é isto anda muito calmo por estas bandas, não acontece nada, tirando as variações de tempo, não tem acontecido mesmo nada. Hoje apetece-me falar dos meus sonhos, daquilo que parece impossivel alcançar nesta vidinha....

Neste momento os sonhos imediatos é apenas um...a minha "carreira profissional", bom se é que podemos falar de carreira profissional nos dias que correm!!!!

Adiante...

Talvez isto venha a proposito do livro que estou a ler "os Sonhos não têm prazo de validade", um livro dedicado mais a mulheres que estão na casa dos 50 ou 60 anos, a quem é feito o alerta de que os sonhos nunca acabam e que existem maneiras de os retomar.

No periodo em que me encontro, o livro acaba por fazer sentido, a mensagem acaba por ser importante e de certa forma põem-me em contacto com aquilo que fui descobrindo, os sonhos que fui adiando ao longo da vida. Dou por mim a pensar porque pomos de parte tantos sonhos de adolescência ou de meninices....?!

Nos meus dias de adolescência o meu sonho era ser jornalista de musica, sonhava acompanhar o percurso das bandas, os concertos, escrever artigos, viver os momentos, falar do entusiasmo ao ouvir esta ou aquela banda. Este sonho por outro lado escondia outro sonho importante e que eu escondia a sete chaves....a escrita.

Escondia-me para escrever e escrevia só para mim. Às vezes poemas, outras vezes pequenos contos carregados de ilusões cor de rosa e ingenuidade tipica dos meus 14 ou 15 anos, mas viajava quando escrevia, mergulhava no meu mundo imaginário e escrevia. Dizia muito frequentemente...um dia vou editar um livro!!!

Hoje foram-se as folhas de papel repletas de textos carregados de emoções cor de rosa, salvo alguns poemas, não guardei nada desse tempo...

O peso dos anos, as exigências exteriores acabaram por me moldar de uma outra forma, entrei na faculdade e contrariei mais uma vez todas as certezas que tinha. Bom um bocado culpa do destino, acabei por tirar um curso que ninguém tira, formei-me em antropologia cultural, património e acção cultural e descobri mais uma vez que afinal o caminho não se tinha desviado assim tanto, que era uma área que me interessava bastante. esquci um bocado a música, esqueci até um pouco a escrita e hibernei para tentar responder à exigência de ser alguém....

Mas os sonhos permaneceram cá dentro de alguma forma...e a grande ligação à música não me deixou cravar os pés no chão!!!

Na recta final do meu curso, já trabalhava ao mesmo tempo como telefonista, acabei por conhecer algumas escolas com cursos interessantes, a intenção até era seguir com um mestrado ou pós-graduação, mas não. A ideia daquele curso ficou-me a batalhar tempos, um ano talvez...e foi na primeira edição do Rock in Rio Lisboa, que uma emoção escondida à muito voltou....

1994...Estádio José de Alvalade...CrossRoads Tour...cabeça de cartaz: Bon Jovi acompanhados dos fantasticos Van Halen!!! Foram tantas as emoções, tanto o diliro, os ouvidos carregados de decibeis, as letras e as musicas na ponta da lingua, a energia de cada actuação....arrepio-me só de lembrar até hoje!!! Com o Rock in Rio foi o mesmo feeling e 10 anos depois eu tinha a confirmação de algo....

A produção de espectaculos era o meu mundo!!!!

Paguei, estudei, cheguei a casa tarde tantos dias por semana, conheci pessoas diferentes, interessantes, e durante um ano aprendi um pouco daquilo que é montar um espectaculo...seja música, teatro...whatever!!!

Hoje ir a um concerto já não é aquele deslumbre, mas ainda assim continua a ser uma emoção muito grande. Hoje talvez me entusiasme mais tentar visualizar cada promenor, olhar cada espaço, apreciar a actuação, escutar a qualidade do som e sonhar um pouqinho no trabalho que é feito nos bastidores....

E mais do que nunca esse é o meu grande sonho a par com a fotografia de espectaculo recentemente descoberta!

Ler este livro fez-me ter esta certeza, fez-me fincar pé e dizer que é mesmo isto....

Mas a realidade é cruel!

Não é dificil deparar-me com as empresas mais importantes no ramo, já as chateei todas e sem sucesso, talvez por isso me invada uma frustração enorme ao perceber que circulo tão pequeno elas formam, que nem daqui a 500 anos vou conseguir entrar para uma delas, que vivem no seu mundinho tão pequeno, que tudo o que conseguem ver é o próprio umbigo, que há tanto potencial no nosso país para se produzir seja o que for, e que vivem todos de palas nos olhos e de bolsos semi-cheios!!!

Razão tem o Joe Berardo quando diz que a cultura é das maiores industrias que existem, na europa ela movimenta mais dinheiro do que a insdustria automovel....

E olhem bem para nós, com tudo a nosso favor e sem nada!!!

Infelizmente tenho que constactar que talvez não falte nada para sair daqui e procurar quem me de valor, é incrivel a receptividade e a boa aceitação que se tem num país estrangeiro. E mesmo que não se fique com o lugar, mesmo que nãos e consiga sair daqui, já é muito bom ter uma conversa ao telefone com um potencial empregador estrangeiro, e receber um feedback excelente que me faz sentir alguém, que me faz parar e pensar: afinal até tenho valor, afinal não andei a estudar e a investir pró boneco e há gente por esse mundo fora que dá valor as minhas competências....

Em jeito de desabafo acabo de fazer um exercicio recomendado pelo livro, e estou agora a meio caminho para iniciar a busca definitiva para a concretização do meu sonho!!!

Obrigado a todos pelo carinho, pela amizade, pelas mensagens que vão deixando ao longo do tempo e mil desculpas pela minha ausência e falta de comentários!

   

publicado por Paty a.k.a Wildflower às 18:16
sinto-me: descobrindo velhos sonhos

Janeiro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
16
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
30
31


subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO