Round and Round in Circles Over Life...

30
Nov 06

A propósito do frio que se tem finalmente começado a manifestar, decidi renovar as minhas pantufas, pois já não aguentava andar de pés gelados. Ontem numa de distração lá fui eu ao centro comercial, ver se encontrava umas pantufas que me aquecessem realmente os pés!

Depois de muito escolher voltei para casa com uns exemplares felpudos, quentinhos, mas tendo-as calçadas nos pés no recato do meu lar, dei comigo a divagar....

"There's nothing sexy about these!!!!"

Imaginei a coisa assim.....

Euzinha no sofá refasteladinha, pantufinhas, pés quentinhos...ele o tal (se souberem de quem se trata é favor avisar a procedência lolololo) chega-me miracolosamente a casa, vem algo entusiasmado e tal....mas ao olhar para as pantufas....Puftttttt! Eu transformo-me num sapo e ele foge a sete pés.....

Bem adiante...

A questão fundamental que as minha ricas pantufas me levaram a colocar a mim mesma está relacionada com o que há ou não de sexy entre as pessoas e na intimidade da sua vida privada. Ou seja, conhecemos alguém num qualquer lugar comum, alguém como nós, completamente anónimo, mas com manias, com defeitos, com vicios enfim...

Será isso motivo para estragar aquele feeling, aquela quimica que se gera entre duas pessoas? No momento em que se deixa cair a máscara e nos damos realmente a conhecer, no momento em que a intimidade entre-abre as portas e começamos a deixar entrar a outra pessoa na nossa vida, será que esses pequenos defeitos, manias ou vicios afectam a relação que prometia um futuro tão risonho?

Uma mulher mais prática, mais simples, pode ser ou não vitima de uma certa "não sensualidade", de um certo desentusiasmo, atrairá ela todo o tipo de homens, ou será considerada apenas a amiga, a porreiraça com quem se troca dois dedos de conversa?

Será então a sensualidade apenas uma maneira de estar ou um atributo que só os dotados de grande beleza e atracção físicas possuem? Gosto de acreditar que é uma forma de estar, que pode ser encontrada numa atitude, num gesto, na mente de cada um. Fez este dias um ano que acabou uma história que me ensinou que tenho um lado cheio de sensualidade e erotismo, talvez de uma forma ingénua, mas á minha maneira descobri que a mente vai onde quizeremos. Apesar de nada de transcendente ter acontecido entre nós, de ter sido mais um jogo do gato e  do rato percebi realmente que mágico é quando se descobre sensualidade nas pequenas coisas, quando duas pessoas podem e conseguem partilhar essa sensualidade, quando dois amantes conseguem enxergar mais do que sexo puro e duro.

O calcanhar de Aquiles é o que existe de efémero, de vulgar e fugaz entre duas pessoas! Quando essa sensualidade, esse erotismo, é apenas um jogo de prazer, como um botão que se liga e desliga quando se tem necessidade, essa sensualidade acaba muito antes de ter começado...porque afinal as duas pessoas não souberam viver e estar com os defeitos as manias, os vicios e as verdades do outro.

E então como é? Terei de virar um "femme fatal", entregar-me ao culto do corpo, vergar-me aos rituais de sedução e caça desenfreada? Terei de competir com todas as fémeas, virar mais um número nas estatísticas dos machos dominantes? Ou será que ainda há espaço nesta vida para o amor expontaneo,de pantufas felpudas e pijama as riscas? 

Anyway...I'll keep on dreaming

Bom fim de semana prolongado a todos!

Carpe Diem

publicado por Paty a.k.a Wildflower às 14:29
sinto-me: Sunshine

Novembro 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
29


subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO