Round and Round in Circles Over Life...

29
Jan 07

Ora vamos cá quebrar o silêncio e o marásmo...

Pois é isto anda muito calmo por estas bandas, não acontece nada, tirando as variações de tempo, não tem acontecido mesmo nada. Hoje apetece-me falar dos meus sonhos, daquilo que parece impossivel alcançar nesta vidinha....

Neste momento os sonhos imediatos é apenas um...a minha "carreira profissional", bom se é que podemos falar de carreira profissional nos dias que correm!!!!

Adiante...

Talvez isto venha a proposito do livro que estou a ler "os Sonhos não têm prazo de validade", um livro dedicado mais a mulheres que estão na casa dos 50 ou 60 anos, a quem é feito o alerta de que os sonhos nunca acabam e que existem maneiras de os retomar.

No periodo em que me encontro, o livro acaba por fazer sentido, a mensagem acaba por ser importante e de certa forma põem-me em contacto com aquilo que fui descobrindo, os sonhos que fui adiando ao longo da vida. Dou por mim a pensar porque pomos de parte tantos sonhos de adolescência ou de meninices....?!

Nos meus dias de adolescência o meu sonho era ser jornalista de musica, sonhava acompanhar o percurso das bandas, os concertos, escrever artigos, viver os momentos, falar do entusiasmo ao ouvir esta ou aquela banda. Este sonho por outro lado escondia outro sonho importante e que eu escondia a sete chaves....a escrita.

Escondia-me para escrever e escrevia só para mim. Às vezes poemas, outras vezes pequenos contos carregados de ilusões cor de rosa e ingenuidade tipica dos meus 14 ou 15 anos, mas viajava quando escrevia, mergulhava no meu mundo imaginário e escrevia. Dizia muito frequentemente...um dia vou editar um livro!!!

Hoje foram-se as folhas de papel repletas de textos carregados de emoções cor de rosa, salvo alguns poemas, não guardei nada desse tempo...

O peso dos anos, as exigências exteriores acabaram por me moldar de uma outra forma, entrei na faculdade e contrariei mais uma vez todas as certezas que tinha. Bom um bocado culpa do destino, acabei por tirar um curso que ninguém tira, formei-me em antropologia cultural, património e acção cultural e descobri mais uma vez que afinal o caminho não se tinha desviado assim tanto, que era uma área que me interessava bastante. esquci um bocado a música, esqueci até um pouco a escrita e hibernei para tentar responder à exigência de ser alguém....

Mas os sonhos permaneceram cá dentro de alguma forma...e a grande ligação à música não me deixou cravar os pés no chão!!!

Na recta final do meu curso, já trabalhava ao mesmo tempo como telefonista, acabei por conhecer algumas escolas com cursos interessantes, a intenção até era seguir com um mestrado ou pós-graduação, mas não. A ideia daquele curso ficou-me a batalhar tempos, um ano talvez...e foi na primeira edição do Rock in Rio Lisboa, que uma emoção escondida à muito voltou....

1994...Estádio José de Alvalade...CrossRoads Tour...cabeça de cartaz: Bon Jovi acompanhados dos fantasticos Van Halen!!! Foram tantas as emoções, tanto o diliro, os ouvidos carregados de decibeis, as letras e as musicas na ponta da lingua, a energia de cada actuação....arrepio-me só de lembrar até hoje!!! Com o Rock in Rio foi o mesmo feeling e 10 anos depois eu tinha a confirmação de algo....

A produção de espectaculos era o meu mundo!!!!

Paguei, estudei, cheguei a casa tarde tantos dias por semana, conheci pessoas diferentes, interessantes, e durante um ano aprendi um pouco daquilo que é montar um espectaculo...seja música, teatro...whatever!!!

Hoje ir a um concerto já não é aquele deslumbre, mas ainda assim continua a ser uma emoção muito grande. Hoje talvez me entusiasme mais tentar visualizar cada promenor, olhar cada espaço, apreciar a actuação, escutar a qualidade do som e sonhar um pouqinho no trabalho que é feito nos bastidores....

E mais do que nunca esse é o meu grande sonho a par com a fotografia de espectaculo recentemente descoberta!

Ler este livro fez-me ter esta certeza, fez-me fincar pé e dizer que é mesmo isto....

Mas a realidade é cruel!

Não é dificil deparar-me com as empresas mais importantes no ramo, já as chateei todas e sem sucesso, talvez por isso me invada uma frustração enorme ao perceber que circulo tão pequeno elas formam, que nem daqui a 500 anos vou conseguir entrar para uma delas, que vivem no seu mundinho tão pequeno, que tudo o que conseguem ver é o próprio umbigo, que há tanto potencial no nosso país para se produzir seja o que for, e que vivem todos de palas nos olhos e de bolsos semi-cheios!!!

Razão tem o Joe Berardo quando diz que a cultura é das maiores industrias que existem, na europa ela movimenta mais dinheiro do que a insdustria automovel....

E olhem bem para nós, com tudo a nosso favor e sem nada!!!

Infelizmente tenho que constactar que talvez não falte nada para sair daqui e procurar quem me de valor, é incrivel a receptividade e a boa aceitação que se tem num país estrangeiro. E mesmo que não se fique com o lugar, mesmo que nãos e consiga sair daqui, já é muito bom ter uma conversa ao telefone com um potencial empregador estrangeiro, e receber um feedback excelente que me faz sentir alguém, que me faz parar e pensar: afinal até tenho valor, afinal não andei a estudar e a investir pró boneco e há gente por esse mundo fora que dá valor as minhas competências....

Em jeito de desabafo acabo de fazer um exercicio recomendado pelo livro, e estou agora a meio caminho para iniciar a busca definitiva para a concretização do meu sonho!!!

Obrigado a todos pelo carinho, pela amizade, pelas mensagens que vão deixando ao longo do tempo e mil desculpas pela minha ausência e falta de comentários!

   

publicado por Paty a.k.a Wildflower às 18:16
sinto-me: descobrindo velhos sonhos

12 comentários:
Já me aconteceu algumas vezes mudar a minha maneira de ver as coisas ou o estado de espírito através da leitura de um livro. Mas tenho pena que te invada esse sentimento de que aqui não te "safas". Infelizmente eu sei que é mesmo assim, em algumas áreas profissionais Portugal está mesmo muito atasado. Se te parece que saindo daqui obterás emprego naquilo que mais gostas de fazer, ouso aconselho-te a que o faças quanto antes. Olha que a vida passa num instante...
Beijo Paty e desculpa a ousadia.
Gigi a 30 de Janeiro de 2007 às 08:59

Gigi é precisamente essa frase que diz tudo...a vida passa num instante, e com tanta coisa imprevisivel, com tantas surpesas e partidas, nunca sabemos o que será o amanhã e se amanhã ainda existe. Ou seja nada é garantido e não sabemos se temos a vida toda para fazer aquilo que podemos fazer agora!
Talvez seja isso que me leva a pensar que posso soltar asas e voar!
Beijo gd e obrigado pela força ;)

olá...bem,cheguei numa altura de bastante reflexão, não é verdade?
eu falo como alguém que está do lado de cá.....não é fácil, mas sem dúvida alguma que em termos de trabalho derás muito melhor tratada, até porque tens umas excelentes qualificações, só te peço para não esquecer que talvez fiques só seja por onde for e nem todos são o que parecem, mas se te sentes com coragem, sou a primeira a dizer-te arrisca, sem dúvida infelizmente o nosso país está cada vez mais "pequenino" e temos de voar para outros lugares, mesmo que seja temporário.
beijinhos
estrelinha perdida a 30 de Janeiro de 2007 às 14:14

Olá estrelinha!
É verdade ir para o estrangeiro não é pera doce e nada fácil. É uma decisão dificil e nunca se vai com a certeza de que tudo vai correr bem. Conheco algumas gds cidades da europa e sei bem como a vida é tão diferente daqui deste nosso pais a beira mar plantado. Mas não me posso restringir a um pais que não anda para a frente e me amarra de pés e mãos...e se aoportunidade vier logo se ve!
Beijos gds e mais uma vez obrigado pela força!

O que eu te posso dizer é que tu és um espectáculo! Podes não estar a produzir concertos, mas não deixes nunca de te "produzir" a ti. Contra tudo e contra todos, quem um dia o sol rompe as nuvens.

Bj

PS - eu depois ia melgar-te muito para me arranjares convites...
rui a 31 de Janeiro de 2007 às 11:26

Oh Rui...não sou um espéctaculo, sou eu ;)
Talvez extravase mais na escrita aquilo que me vai na alma...de resto passo muito desprecebida! Talvez seja esse o meu mal lololo.
O sol, anda meio escondido e tá dificil de romper das nuvens...pode ser que sim ;)
Mas devo avisa-lo meu caro que no dia que andar por aí a produzir concertos para a malta, as borlas serão compliacadas, mas ainda assim arranjam-se sempre ;D
Beijo gd e obrigado pelas tuas palavras tão animadoras!!!

Ai os sonhos. Só tinha um sonho quando era pequenina, ser professora. Dediquei-me a ele com unhas e dentes e consegui. hoje sou professora. mas como tu dizes, neste país vive tudo fechado no seu umbigo, e não saõ só as empresas da área do espectáculo, são todas elas em geral. Não consigo fazer nada com o meu sonho e com este afastamento o sonho esfumou-se. Já não sei se é isso que eu quero e dou comigo à deriva sem saber o que fazer. Só sei que não sei fazer nada de proveitoso. Estudei anos após anos, li muita coisa, escrevi muita coisa, mas na prática não tenho aplicação neste mundo porque não sei fazer nada mesmo
Por isso, já não acredito em sonhos e já deixei de os ter há muito tempo.
Mas tu que ainda os tens, luta por eles, porque se assim não for morremos neste marasmo.
Beijoca
Angel a 1 de Fevereiro de 2007 às 18:46

Ai Angelcita o mal não é deixar de acreditar nos sonhos o mal é chegar aquela fase em que tem mesmo de ser, ou se arranja um emprego qualquer ou se vegeta e depende de toda a gente para o resto da vida ne ;)
Mas a mim custa me deixar ir os meus sonhos, custa me abdicar de tanto dinheiro que investi, para me resignar e trabalhar sabe se la em que...
Beijos gds linda

e pior ainda é andar a trabalhar e nao saber ao certo o q se gostaria fazer. ter tirado uma licenciatura e pós-graduação, q deveria ser mestrado, e não saber com certeza se era o que queria. Trabalhar e tentar ter motivação diária para fazer as coisas bem feitas e sentir satisfação... muito gostaria eu de saber decididamente o que quero fazer, oque me daria alegria e me faria levantar da cama de manhã sem sacrifício e deitar nela à noite com satisfação pelo que se fez.
A ti, desejo a melhor das sortes e que arranjes esse emprego desejado.. (off the record: conheço mais ou menos um dos sócios da empresa q organiza o festival paredes de coura, pode ser q precisem de gente p essa época. sei q já andam a tratar disso, pq já pediram quartos aqui no htl..)
beijinhos
morgana a 1 de Fevereiro de 2007 às 22:58

Morgie, Morgie...minha linda!
Essa coisa das inseguranças tb eu as tenho...e mais não sei quantas pessoas.. É um facto! Eu tb andei a estudar e posteriormente a tirar outros cursos que já muitas vezes me questionei sobre o verdadeiro caminho. Mas no fundo acho sinceramente que essas inseguranças e questões são fruto da insatisfação de momento e acredito se estivesses no local certo, no emprego certo levantarias da caminha com um sorriso no rosto apesar da estafa que um emprego pode provocar. ;) Não desesperes o sol vai brilhar...
E off the record ;p é os festivais não tarda a porta, o mal mesmo é eles irem às escolas buscarem muninas e muninos fresquinhos, não lhes pagarem um tusto e ao fi de 2 ou 3 meses xau ai....
Mas vou tentar mais uma vez, nunca se sabe ne ;)
Obrigado pelas palavras sempre tão queridas e tão animadoras, va forcita num gosto de te ver assim minha linda!!!
Beijs gds

Já mandei a boca a quem tinha de mandar...sem hopes or dreams..mas nunca se sabe... beijinhos
morgana a 2 de Fevereiro de 2007 às 17:55

No mundo em que vivemos, acho que o que nos resta mesmo é correr em busca dos nossos sonhos e daquilo que nos realiza, nem que para isso seja preciso lutar contra tudo e contra todos. Força aí e coragem para os realizar paty ;)
Bjs
just_me a 2 de Fevereiro de 2007 às 15:18

Janeiro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
16
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
30
31


mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO