Round and Round in Circles Over Life...

30
Nov 06

A propósito do frio que se tem finalmente começado a manifestar, decidi renovar as minhas pantufas, pois já não aguentava andar de pés gelados. Ontem numa de distração lá fui eu ao centro comercial, ver se encontrava umas pantufas que me aquecessem realmente os pés!

Depois de muito escolher voltei para casa com uns exemplares felpudos, quentinhos, mas tendo-as calçadas nos pés no recato do meu lar, dei comigo a divagar....

"There's nothing sexy about these!!!!"

Imaginei a coisa assim.....

Euzinha no sofá refasteladinha, pantufinhas, pés quentinhos...ele o tal (se souberem de quem se trata é favor avisar a procedência lolololo) chega-me miracolosamente a casa, vem algo entusiasmado e tal....mas ao olhar para as pantufas....Puftttttt! Eu transformo-me num sapo e ele foge a sete pés.....

Bem adiante...

A questão fundamental que as minha ricas pantufas me levaram a colocar a mim mesma está relacionada com o que há ou não de sexy entre as pessoas e na intimidade da sua vida privada. Ou seja, conhecemos alguém num qualquer lugar comum, alguém como nós, completamente anónimo, mas com manias, com defeitos, com vicios enfim...

Será isso motivo para estragar aquele feeling, aquela quimica que se gera entre duas pessoas? No momento em que se deixa cair a máscara e nos damos realmente a conhecer, no momento em que a intimidade entre-abre as portas e começamos a deixar entrar a outra pessoa na nossa vida, será que esses pequenos defeitos, manias ou vicios afectam a relação que prometia um futuro tão risonho?

Uma mulher mais prática, mais simples, pode ser ou não vitima de uma certa "não sensualidade", de um certo desentusiasmo, atrairá ela todo o tipo de homens, ou será considerada apenas a amiga, a porreiraça com quem se troca dois dedos de conversa?

Será então a sensualidade apenas uma maneira de estar ou um atributo que só os dotados de grande beleza e atracção físicas possuem? Gosto de acreditar que é uma forma de estar, que pode ser encontrada numa atitude, num gesto, na mente de cada um. Fez este dias um ano que acabou uma história que me ensinou que tenho um lado cheio de sensualidade e erotismo, talvez de uma forma ingénua, mas á minha maneira descobri que a mente vai onde quizeremos. Apesar de nada de transcendente ter acontecido entre nós, de ter sido mais um jogo do gato e  do rato percebi realmente que mágico é quando se descobre sensualidade nas pequenas coisas, quando duas pessoas podem e conseguem partilhar essa sensualidade, quando dois amantes conseguem enxergar mais do que sexo puro e duro.

O calcanhar de Aquiles é o que existe de efémero, de vulgar e fugaz entre duas pessoas! Quando essa sensualidade, esse erotismo, é apenas um jogo de prazer, como um botão que se liga e desliga quando se tem necessidade, essa sensualidade acaba muito antes de ter começado...porque afinal as duas pessoas não souberam viver e estar com os defeitos as manias, os vicios e as verdades do outro.

E então como é? Terei de virar um "femme fatal", entregar-me ao culto do corpo, vergar-me aos rituais de sedução e caça desenfreada? Terei de competir com todas as fémeas, virar mais um número nas estatísticas dos machos dominantes? Ou será que ainda há espaço nesta vida para o amor expontaneo,de pantufas felpudas e pijama as riscas? 

Anyway...I'll keep on dreaming

Bom fim de semana prolongado a todos!

Carpe Diem

publicado por Paty a.k.a Wildflower às 14:29
sinto-me: Sunshine

28
Nov 06

Foi desafiada primeiro pela Just_me e depois pela Estrelinha perdida a responder a um desafio...falar publicamente de 5 manias minhas. Bem confesso que tive que puxar pela cabecita, que isto de manias (ainda por cima só 5) tem que se lhe diga...

Obviamente não vou falar de taras...até porque não tenho muitas e é uma conversa que dava muito pano para mangas e o desafio era só mesmo de manias....

Ora então cá vai...

5 Manias...

1º Mau acordar. De manhã quando me virem sair do quarto, num me dirigam a palavra. Tudo o que consigo articular é um estremunhoso e desgrenhado bom dia (com ar cavernoso e macambuzio). Depois vou direitinha à cozinha e bebo um valente copanázio de àgua...não falha todas as manhãs é isto! Vá-se lá saber porquê...

2º A hora do cafézinho é cheia de rituais, seja de manhã, ao almoço ou whatever...peço o meu café, abro o pacote do acuçar, (uma tira apenas no inicio do pacote e nunca até ao fim), despejo o conteudo na chávena. Depois mexo o café com a colher, primeiro no sentido do relógio, depois no sentido inverso. De seguida rodo a chávena sobre o pires até o boneco da chávena ficar de frente para mim e em seguida..."zuca vai pa dentro!"

3º Mania de comer gelados de copo. Aqui alguns amigos até gozam comigo!!! irritam-me um bocado os gelados de cone, a bolacha as tanats fica meia mole...blec blec não tem piada. A mania está em comer o gelado de copo de uma forma peculiar. Sempre com muita calma, degustando bem e saboreando tudo, vou enchendo a colher de pedaços de gelado e o ritual é sempre o mesmo, levo a colher à boca, faço a rodar e depois suavemente faço a novamente deslizar sobre a lingua, enquanto saboreio o gelado...tipo chupa chupa! Faço me entender...???!!! Bem nevermind....esqueçam!

4º Ler jornais e revistas sempre da mesma forma. Começo sempre, regra geral, do fim para o inicio. Primeiro vejo "as grandes", as imagens e tal e depois de tudo isto volto ao inicio e aí escolho aquilo que mais me interessou...manias??!!!

5º Ouvir musica em alto e bom som! Adoro...adoro...Especialmente quando se trata de ouvir em privado, no recato do quarto, coloco os meus "headphones", grandes e confortaveis, recosto-me na camita ou no sofá e deixo me deliciar com um bom som. Tenho mania de sentir as notas entrarem e sairem pelos poros da minha pele e sentir aquele arrepio, a pele de galinha...seja musica clássica ou da pesada adoro!

Agora digam lá se não tenho pancada??!! Hmmmm????

publicado por Paty a.k.a Wildflower às 15:12
sinto-me: Atximmmm...

27
Nov 06

Há semanas assim....

Estranhas...muito Estranhas!

Quando acontece algo, parece que acontece tudo ao mesmo tempo e aqui por estas bandas é sempre assim, quando acontece alguma coisa, bom aparecem logo mil atrás...

Por isso há cerca de um mês que andamos às voltas com uma série de "embrogulios", o ultimo deles foi uma ruputura da canalização comum do prédio no meu andar. Resultado, algo que poderia apenas ficar nas escadas do prédio, já afectou mais andares, já houve mais ruputuras e inclusivamente já tenho àgua a pingar-me do vizinho de cima directamente para a minha rica sala de estar....

Grrrrrr....

Com tantos problemas e cortes de àgua, zarpámos daqui e fomos passar a semana ao campo. Entre cá e lá, pois a preocupação da àgua era mais que muita, lá pasamos a semana. Semana que se revelou muito estranha e algo surrealista, não só pela mau tempo e vendaval, (que até cheguei a temer que alguma arvore la nos aterrasse em cima), mas por uma sessão de acontecimentos algo surrealistas e engraçados até.

Bem não sei se pode haver algo mais surrealista do que agua a pingar-me os sofás...

De malas e tralhas aviadas, lá fomos nós para o sossego do campo perto do Meco, chuvinha, temporal, vendaval, lamaçal e tudo mais acabado em al....e o que acontece no campo quando chove??!!! Não se faz nada, não se sai de casa, a não ser que se fique enterrado em lama até ao pescoço ....

Outro "beneficio" da chuva, é a bicharada que começa a sair da terra para "molhar o corpito", resultado logo quando chegamos, à noite fomos presenteados com a visita de uma salamandra, bichinho em vias de extinção, que não se pode matar...são todas pretas, parecem uns lagartos gordos e vagarosos e têm umas manchas amarelas, e quando chove muito lá aparecem elas!

A segunda visita acontece logo no dia seguinte, quando ao sair de casa, bem resguardadinho ao cantinho da minha porta lá está ele um sapo grande e gordo, cor de cáca, pensei logo:" epá não acredito que o cão me cagou aqui a porta!", foi quando me caíu a ficha... vejo o meu pai distraídamente quase pisar o desgraçado.....dei um guinxo! E lá se safou o sapo!

Adiante lá continuamos nós, estreamos a lareira que lá para aquelas bandas já faz frio como ó caraças....eu entretanto adoeci com uma rinofaringente, passei uma tarde no SAP e voltei para casa carregada de medicamentos. O temporal cada vez pior já não podia ver chuva e ventos e arvores a abanar....

O fim de semana trouxe consigo uma pequena melhoria...

Sábado acordei, estava o sol a querer espreitar. Levanto-me escancaro os cortinados para deixar entrar o sol e vejo uma borboleta linda, castanha, com as asas com riscas cor de laranja e pintas brancas...linda! Fiquei logo bem disposta com tal presente da natureza...

O resto do dia lá aturei os putos, estivemos a fazer uns desenhos para o natal e ao fim da tarde o temporal voltou....umas nuvens negras e uma chuvada monumental foi o que se seguiu...

Mas....entre o chegar das nuvens e o sol se esconder, houve tempo para um acontecimento da natureza fantástico....um arco-iris!

A foto inloco, apesar de ranhosa (desculpem lá), mostra algo que não me lembrava de ver à alguns anos...esteve ali poucos minutos, mas sempre escarrapachado a olhar para mim. Eu parecia uma miúda maluca de 5 anos, entusiasmada com o arco iris...e pensei para comigo se algum dia alguém alguma vez encontraria realmente o pote de ouro no final do mesmo?!

É tão bom quando sentimos que ainda temos aquela criança dentro de nós....

Surreal, surreal foi mesmo o ultimo acontecimento da semana. Depois da borboleta a dar-me os bons dias e do arco-iris, a noite já bem tarde, fui me deitar com perguiça de sair do quetinho....isto de passar o serão a lareira e depois ir para o quarto que não está tão quentinho é o que dá! Pus o pijaminha e tal e o cão na rua parecia estar histérico e nãos e calava. Eram cerca da 1 da manhã e ele ladrava e rosnava e ladrava e rosnava...

Abri a janela, olhei olhei e nada. Tentei acalma-lo porque ele tem medo da propria sombra...mas nada. De repento ouvi barulho e fiquei algo preocupada, andava alguém no terreno bem ao pé do portão. Até que vejo uma sombra....

"Ai...!" Pensei eu..."estou a ficar tolinha...ando a ver coisas"...

Mas não a visão não era delirio...

Era mesmo....

Um cavalo enorme, corpolento!

Desatei a correr escada abaixo...ó pai ó pai...está um cavalo aqui a porta.....um cavalo aqui a porta!!! E estava mesmo! Acenderam se as luzes da rua e lá estava ele a fazer uma grandeeeeee mijaaaaaa no meu quintal ao pé das lanrajeiras....

Surreal não??!!

Que semana tãoooo estranha....

Beijos a todos, obrigado pelos vossos comentários e uma excelente semana para todos!

 

publicado por Paty a.k.a Wildflower às 15:32
sinto-me: Atchim e com frio...

15
Nov 06

Como um peixe fora de àgua...é assim que sempre me senti!

O mundo sempre foi demasiado pequeno e claustrofóbico para mim, o aquário demasiado redondo, monótono, talvez por isso nunca senti que pertencesse a nenhum grupo, a lugar nenhum, havia sempre um desejo de ver mais, de saber mais...

Talvez tenha sido esta inadaptação que senti quando aos 13 anos mudei de cidade, que me levou a ser a pessoa que sou hoje, que me levou a viver a minha vida num mundinho muito próprio, chegando a ser muito conformista, muito sossegada no meu canto, de não entrar em grupos ou grandes atitudes rebeldes só porque não me "encaixava em lugar algum".

Acabei por me refugiar em mim, na ecrita, na leitiura, na musica e tantas outras coisas...

Enquantos os outros putos todos arranjavam problemas e usavam e abusavam das drogas, eu acabava por ficar à margem, dividida entre um certo sentimento de rebeldia e a responsabilidade de me comportar como alguém consciente e responsavel (coisa que sempre me incutiram desde...sempre!).

Mas sempre me dei com toda a gente, independetemente da classe, do satus, do aspecto, da filosofia ou da religião...

Cedo percebi que o pessoal mais velho era aquele com quem eu gostava de me dar....mas lá está era vista como a menininha, a miúda, a pita...não teve importância, pois ainda hoje e isso que acontece! Cá em casa, a musica sempre foi uma constante, tive aulas de musica, tocava teclas, ouvia os discos do meu pai do Crosby and Nash, a banda sonora do Jesus Christ Super Star e dos Beatles...quem é que aos 10 anos ouve Crosby and nash ou os Beatles, numa época em que brilhava a Madona ou os Duran Duran???

Com 11 ou 12 ia às matinés da escola secundária da minha irmã, as festas onde só se ouvia metallica, megadeth, AC/DC, Capitão Fantásma e coisas do género....pairavamos entre o Rock a Billy e o Metal...era engraçado andar no meio dos amigos dela, cada um com um ar mais engraçado que o outro, tinham estilo, usavam os cabelos com umas poupas enormes, tods muito bem penteadas, as correntes nas calças, os blusões a la americana, os jeans linha direita e estreitos, mostravam as figuras magras e franzinas. Elas das duas uma, ou se vestiam muito numa onda rerivalista do Rock americano, com saias rodadas e cabelinhos apanhados com a franjinha direita, ou então tinha o look mais metal, mais masculino, dark and black!

O único cheirinho dessa época foram os Jeans e os sapatos a rock a billy com umas solas grossissimas, que me davam um gozo enorme e eram bem bons na epoca das chuvas...

Depois tudo mudou...

Eu mudei de zona, mudamos para a outra margem do rio...foi como entrar na twilight zone!

As coisas não eram como hoje, trocar moradas e telefones fixos, não é o mesmo que trocar telemoveis e Hi5 e blogs e falar no MSN. Os contactos com os amigos foram-se perdendo e apesar de ter revisto alguns deles logo um ano após, e de me terem feito sentir que realmente eramos amigos, cada um deles seguiu a sua vida!

Nessa altura sim...tinha amigos!

Com 13 anos e uma cidade nova para descobrir, para me enraizar foi dficil. As pessoas não eram iguais, os modos de estar, de ser, de viver também não. Eu era a "outsider", a menina betinha, boa aluna, com gostos de musica esquzitos e nada dada a beleza fisica!

Naquela altura o liceu respirava dois ambientes: os metal's que se metiam em coisas obscuras e viviam muito fexados sobre eles próprios e os dred's, o pessoal virado para o rap, malta dos gangs, que procuravam passar o tempo em rixas e a chatear os outros. Todos aqueles que não encaixavam nestes perfis...eram os chamados "Betos"!

Era uma escola problemática, fiz algumas amizades nos vários grupos, mas nunca me adaptei!

Saí com o 12º ano e o alivio de finalmente passar a um outro nível, a faculdade parecia um Oasis que mais tarde se revelou mais um rio infestado de piranhas, conhece-se muita gente, ve-se muita coisa, mas mais uma vez aquilo não era para mim...

De lá ficaram poucas amizades fortes! Algumas mantêm-se até hoje....

Mas continuo a sentir-me como um peixe fora de àgua, não sou daquelas pessoas com um grupo fixo de amigos, que se juntam sempre em grandes borgas e farras, existem isso sim algums pessoas de quem eu gosto muito, com quem me preocupo independetemente da distância, do silêncio, de nos vermos de tempos a tempos...enfim!

Ontem o desabafo do post tem um bocado a ver com isso, com as amizades, com a família, com os amores, com os relacionamentos de qualquer natureza, que a determinada altura me começam a sufocar não por serem demais, mas por se chegar a um ponto em que as pessoas não estam no mesmo nivel de sintonia.

Enquanto amiga, namorada, familiar whatever...interesso me pelo que as pessoas fazem, os projectos, aquilo que são, como estão, como tem corrido a vida...gosto de lhes telefonar, saber como estão, mas respeito sempre os espaços, talvez até demais...não sei! Acima de tudo valorizo a amizade desprendida, desinteressada, o dar e receber sem imposições...sem aquela história do ai fulana tal faz anos vou comprar uma prenda, não se me apetecer presentear alguém sem motivo mais gozo me dá! Não gosto de festas tipo natal e aniversários pela questão das prendas, é o momento...passar o dia preocupada com a arvore de natal que tem de ser decorada, com o jantar para receber quem vem celebrar comigo....enfim! No aniversário prefiro não receber presentes mas ter as pessoas comigo, ver que elas se deslocam até mim para estar comigo nem que seja 5 min e dar-me um abraço de felicidades...

Odeio essa historia do "tenho o teu presente de natal...temos mesmo que arranjar um tempinho para nos encontrar!!" Guardem o dinheiro do presente, deiem-no a quem quizerem, vamos fazer uma jantarada...

Será assim tão dificil???

Eu sei que tenho os meus momentos....que não tenho saído, que tenho estado enfiada no meu mundinho a tentar endireitar a vidinha, sei que tenho alguma culpa de não lhes falar mais, de não os ver mais vezes...e assumo isso! Mas quando penso bem outra coisa me vem a cabeça...pensar que ligo a alguém para sair e depois ouvir que ai hoje não da porque tou a arrumar a casa, ou ai hoje o não sei quantos (o namorado portanto) não vem ter comigo, não pode ser outro dia? Ou outra coisa qualquer...

Serei eu assim tão complicada ou escapa-me algo??? Namorado, marido, whatever é sinónimo de lapa, grudada, de perder a autonomia, de aniquilar a personalidade??? Ou será que sou eu a divagar porque afinal eu sou solteira e não sei o que é isso....??? E assim tão dificil estar a sós com aquele amigo/a do peito e falar de tudo e mais alguma coisa sem ter que estar ali a fazer de vela, ou a olhar para os dois enquanto eles têm conversas quase em código sobre coisas que eles fazem e que eu apanho do ar???

Tenho pena de ter muito pouca gente para partilhar as minha paixões, tenho pena que não compreendam, que as vejam como meros hobbies ou "entretens", tenho pena que fiquem presos a uma rotina diaria, de serem pouco arrojados naquilo que querem alcançar...mas ainda assim estou lá para eles, para os ver casar, ter bebés e serem felizes à sua maneira!

Eu continuarei a ser a eterna solitária, com a cabeça cheia de utopias, filosofias e sonhos, uma pessoa de convições e de paixões que nunca desiste de evoluir mais e mais....

 

publicado por Paty a.k.a Wildflower às 15:55
sinto-me: Pensativa demais...
música: Incubus - "Aqueous Transmission"

14
Nov 06

OBRAS NO PRÉDIO....

ANDAM NISTO À MESES DESDE O VERÃO....

DAS!!! NUM HÁ PAXORRA NEM CÚ QUE AGUENTE....

SHUT THE FUCK UP!!!! SHUT UPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

MAL COMEÇOU A SEMANA E JÁ VOU NO SEGUNDO POST...

HUMPFFFF...

DEPOIS PARECE QUE É NESTAS ALTURAS QUE PERCEBEMOS REALMENTE PORQUE NOS IRRITAM DETERMINADAS PESSOAS....DEVE SER DOS NERVOS À FLOR DA PELE, O BARULHO SENSIBILIZA-ME AS IDEIAS E FICO ASSIM...

ODEIO, DESTESTO, SENTIR QUE UMA PRENDA DE NATAL, ANIVERSÁRIO, ETC. É MAIS IMPORTANTE DO QUE UMA CONVERSA, O MATAR SAUDADES, O ESTAR ALÍ...

PODIA SAIR MAIS VEZES....

PODIA TER RESMAS DE AMIGOS...

PARA QUÊ?

PRENDAS NOS ANIVERSÁRIOS, NO NATAL?

A AMIZADE NÃO SE COMPRA, NÃO TEM VALOR, NÃO TEM PREÇO...É UMA OUTRA FORMA DE AMOR, CARINHO!

É DIFICIL EXPLICAR ISSO AS PESSOAS????

E MUITAS PESSOAS SE ADMIRAM DE EU NÃO TER AMIGOS, DE NÃO SAIR EM GRANDES BORGAS, DE NÃO IR PASSAR FDS FORA E TAL...

PARA ELES NÃO COMPREENDEREM O MEU GOSTO POR FOTOS, PELO METAL, POR CURTIR VIAJAR, NÃO LIGAR A MODAS E PRENDAS E COISAS ASSIM...

ESTOU A EVOLUIR....

NÃO TENHO PALAS NOS OLHOS, NÃO PADEÇO DE CEGUEIRA, NEM ME QUERO APRISIONAR A ALGUÉM OU A UMA VIDINHA FUTIL, BÁSICA E CHEIA DAS MESMAS ROTINAS....

ISSO JÁ EU TENHO! OBRIGADO...

OLHEM BEM PARA MIM....NÃO CONSEGUES VER A METAMORFOSE? NÃO CONSEGUES VER QUE JÁ NÃO VIVO APRISIONADA AO MUNDINHO PEQUENO E TRISTE DE ALGUM TEMPO ATRÁS? OLHA BEM....

TENHO PENA DAQUELES QUE NÃO SABEM VOAR, DAQUELES QUE NÃO CONHECEM O CALOR DE UM ABRAÇO AMIGO E GENUÍNO....

O CÉU É O MEU LIMITE...FINALMENTE APRENDI A VOAR!

publicado por Paty a.k.a Wildflower às 14:03
sinto-me: Zangada...

13
Nov 06

Se a vida nos parece por vezes demasiado monótona, pois de vez em quando lá surgem aqules dis, semanas, ou fins de semana...que contrariam todas as certezas que tinhamos até aqui...

Este 3 ultimos dias têm sido prova disso...

Bom para começar, sexta-feira foi um daqueles dias em que devia etr acontecido mutia coisa e não aconteceu nada de verdadeiramente proveitoso nesta vidinha...tinha um programinha fantástico nessa noite, mas com tanta coisinha chata e burocrática para fazer a noite não acabou assim tão bem...houve tempo ainda para ralar a paciência a os tostões da carteira com uma ida ao médico oftalmologista....mas o meu dia atrasou-se de tal forma, que a hora que era suposto estar a curtir um concerto de musiquinha boa, estava a chegar a casa mais morta que via...

Resultado não fui e ainda fiquei a dever um pedido de desculpas a quem me convidou...

Sábado acordei sosegadinha e quietinha no sossego do lar....papás fora, a casa só para mim, houve tempo para escutar os silêncios todos e ter tempo para molengar e bezerrr à vontade! A meio da tarde lá sucumbi ao convite irresistivel da minha mana mais velha, de irmos até ao cineminha...

Já não ia ao cinema à.....tanto tempo que já não me lembro!

O filme? "O Perfume"....

F.A.N.T.Á.S.T.I.C.O!

Nunca tinha lido o livro mas conhecia a história muito superficialmente, entre o horror e o suspense, deliciei-me com cada pedaço de 2 horas e meia de filme....2 horas que são mais do que um mero pedaço de pelicula comum, 2 horas que me fizeram pensar...O filme não é facil, de todo! É preciso deixarmo-nos horrorizar e ao mesmo tempo seduzir, mas acima de tudo ler nas entrelinhas e perceber a mensagem que ele contem...

A minha "sister" é a companhia perfeita para estes filmes, só ela para falar, para partilhar, para sentir as coisas da mesma forma que eu...

Domingo foi novamente dia de voltar à confusão familiar, mais um aniversário, mais uma reunião, muita confusão, muita energia junta, rever pessoas, matar saudades, enfim....

Mas á noite regressei à minha tranquilidade, sozinha houve tempo para mais dois filmes marcantes....a "Rapariga de Brinco de Pérola" e "Favores em Cadeia".

Adoro cinema...adoro!

Sou daquele tipo que adoro ou odeio os filmes, depois há aqueles que vejo e pronto é meramente para passar o tempo, mas geralmente os filmes que vejo marcam me sempre, parece que vêm sempre na altura certa...um pouco como os livros!

E este 3 filmes acabaram por vir no seguimento daquilo que tenho escrito, dos pensamentos que andam para aqui perdidos nesta tola, de alguma forma cada um deles transmitiu a sua mensagem importante que tudo tinha a ver com o momento de vida em que me encontro...

Dei por mim a divagar mais uma vez sobre as pessoas, a frieza com que nos relacionamos uns com os outros, as barreiras que impomos...dei por mim a pensar o quão fácil é sentirmo-nos invisiveis, o quão facil é passarmos desprecebidos...

A vida aprece-nos sempre tão confusa, tão dificil e tão cheia de problemas que olhamos para tudo em nosso redor e já não temos capacidade de ver aquilo que está mais além...

E se existisse algo que nos libertasse de todas essas barreiras? Algo que nos desliga-se do piloto automático e fizesse ver-nos todos os ser humanos com os mesmos olhos, olhos do coração? Seria tudo mais fácil?

Talvez!

A solução para mim está em olhar para dentro e perceber onde se pode evoluir! Olhar e acreditar na beleza interior que se vê, mas que se tem medo que os outros não gostem, a solução está em não temer um sim, quando já tenho á partida um não...gostar da imagem que se reflecte no lago de àguas calmas e perceber que quer seja sozinha quer seja acompanhada o mundo está cheio de surpresas para mim...

E não....desculpem mas não faço fretes, não vou onde querem que eu vá!  Podem se ir os aneis, mas ficam se os dedos, fica espaço para novas joias me preencherem a vida e me deslumbrar com o seu brilho e cor....o mesmo acontece com os amigos!

Aqueles que eu amo sabem que os amo, mesmo no silêncio, mesmo na distância...

publicado por Paty a.k.a Wildflower às 15:56
sinto-me: Como um raio de sol...

09
Nov 06

Quando a vida nos parece um deserto, quando caminhamos nas areias quentes e estéreis das dunas monstruosas, isso é sinal de que o universo nos tá a tentar dizer algo...

Estou a viver um momento de deserto e à muito que a minha caminhada se iniciou...

Hoje, mais animada, conformada por saber que deambulo neste deserto com um propósito, faço um esforço para vencer os obstáculos, para fazer a tal revisão interior, interiorizar coisas importantes, exteriorizar outras, e continuar a perceber qual o melhor caminho para chegar ao meu destino...

É interessante parar e ter a capacidade de analisarmos todas as hipóteses todos os acontecimentos.

Apercebo-me então de uma série de coisas, que apesar de não serem nada novas para mim, fazem agora mais sentido, como um click ou um estaladão que levamos para despertar. Todas estas coisas também têm sido alvo de inumeras crónicas, livros, blogs, enfim...um pouc por todo o lado é facil encontrar artigos que nos depertem para questões pertinentes e actuais.

Foi o que aconteceu nas duas ultimas semana...

Como já disseram algumas pessoas e recentemente o meu "amigo" Zé Miguel no seu blog, a blogosfera anda algo deprimida e triste, é facil lermos pessoas descontentes, solitárias, carentes, com muita necessidade de mudança nas suas vidas....

Mas nem sempre temos aquilo que queremos!

A questão emocional, a solidão, a falta de amor e as desilusões são uma constante e a mim parece-me que vivemos numa sociedade cada vez mais cinzenta, cada vez mais fria, mais fechada sobe o seu próprio umbigo. Eu própria sou exemplo, uma eterna solitária, desiludia, insatisfeita, enfim...

O amor, o afecto, o carinho é o nosso maior défice...

Dei por mim a pensar no que é verdadeiramente o amor? Será este assim tão verdadeiramente importante e fundamental das pessoas? E aqueles que optam pelo celibato de estar bem só consigo mesmo? Não sentirão eles a falta de um amor verdadeiro a seu lado?

Há quem diga que o amor é entendido de formas diferentes entre os sexos...o homem ser mais razoavel e racional não percebe porque é que a razão e o amor podem andar de mãos dadas, ao passo que a mulher mais emotiva e menos racional, não os consegue entender um sem o outro, para ela todas as grandes decisões são pesadas na balança com estas duas medidas.

Na verdade eu identifico-me com esta designação....sou demasiado emotiva para por vezes saber separar as àguas e enchergar a realidade, falta-me por vezes a frieza e racionalidade de um homem...então o que é que nos atrai? Será esse lado complementar que tanto falta à mulher? Como uma espécie de Yin e Yang? Ou será que é tudo meramente aleatório?

No meio de tudo isto, leio uma crónica numa revista que me faz pensar mais um pouco...alguém falava na falta que existe, por parte das pessoas, em manifestarem aquilo que sentem...na falta de abraços, de carinhos, não só no plano das relações intimas/ carnais, mas em grande medida nas relações mais simples de amizade e familiares. Abraçamos frquentemente aqueles de quem gostamos? Abraçamos um amigo ou irmão de cada vez que o encontramos? Ou pelo contrário limitamos-nos a dar dois beijos a ter uma atitude meramente formal?

Isto leva-me a muitas questões...questões que se prendem com educação de outros tempos, com canones instituidos à muito e que fazem de nós seres automatizados. Talvez seja por isso que as pessoas têm tanta dificuldade em se relacionar no plano amoroso, por um lado a dificuldade de expressar sentimentos emoções, por outro uma espécie de normas, regras de comportamentos instituidas que nos fazem ser assim...

Imeditamente remete-me para outra questão...

A dependência amorosa, emocional e afectiva!

Com toda esta falta de amor, com um vazio generalizado estampado no rosto das pessoas, é dificil entrarmos ou encontrarmos uma relção amorosa equilibrada que se possa construir a partir do nada e evoluir...e não é isso que todos procuramos??? E como pode isso existir, se esperamos que uma relação amorosa venha resolver todos os nossos problemas? Como queremos ter o homem ou a mulher ideal do nosso lado se estamos a dizer-lhe deliberadamente que ele é o nosso salvador, o porto seguro aquele de quem dependemos para ser felizes?

Assistimos hoje em dia pessoas a ligarem-se por dependência, pelo cansaço de ser solitário, pelo desespero de estarem no mesmo plano que todas as outras. Somos todos uma espécie de "Vampiros do Amor", que nos alimentamos do outro para sermos felizes....

"Eu mordo no teu pescoço...tu mordes no meu! (...) Ser dependente é estar lunarizado, é orbitar e redor de alguém que julgamos nos irá fazer felizes. (...) Não podes depender de ninguém, e sempre que o fizeres vais ser recordado, pela dor, que não deves viver como um mendigo, mas como um imperador. Dá o teu melhor aos outros, sem depender deles para te sentires alimentado. A tua dádiva é a tua maior riqueza, a tua carência a causa do teu maior sofrimento" (Nuno Michaels)

Percebi finalmente o meu erro, aquilo que de certa forma me fazia infeliz, aquilo que me enrolou como uma onda e que deixou ainda mais triste. E quando duas pessoas com os mesmo défices se juntam, nada poderá chegar a bom porto, pois nunca vão conseguir alimentar-se a si próprias, com tanta falta de amor e tanto desejo de esquecer o vazio que os preenche.

Agora percebo o que foi que uma história, que para mim teve um desfecho tão triste, significa...agora percebo aquilo que posso ser, o amor que tenho para dar...agora percebo que a solidão só me torna mais forte, mais consciente de mim, só me fortalece...agora sei que a porta se está quase a fechar e que a vida me está a abrir uma janela de possibilidade, apesar de não se passar nada, lá fora existe um número infinito de possibilidades, de coincidências, de acasos, de mudanças, que eu posso agarrar...

E vou continuar no deserto, vou continuar a caminhada, pois quero encontrar o meu oasis e não sentir que sou um "mendigo" à espera de alguém que olhe para mim e veja o imperador que tenho cá dentro...

Beijos a todos um excelente Fim de Semana!

Big hug!

publicado por Paty a.k.a Wildflower às 12:07
música: Let Love In...Goo Goo Dolls

06
Nov 06

Nota prévia: Post escrito pela minha mãozinha alguns dias atrás....

Estou de cabelos em pé!!! Aghhh...

Semana que tem feriados pelo meio e não sei quantos aniversários pelo meio é de por os cabelos em pé!

Para variar (sorrisinho embecil e irónico...) , fui passar a semana do feriado ao campo com a família toda reunida. Alguns de fim de semana outros de mini-férias enfim o pessoal juntou-se todo...

Que confusão que barulheira...

Repouso o corpo cansado e indolente em cima da minha cama "kingsize"...ai que bom o silêncio! Sinto-me letárgica e absorta, mergulhada nos barulhos do silêncio, finalmente alguns momentos de sossego!

A janela de cortinados escancarados mostra uma paisagem perdominantemente verde e acinzentada...o tempo está chuvoso. È incrivel pensar que já chegamos a Novembro, não está frio mas uma chuva de temporal e chega a estar tanto calor como nos dias de setembro...Ao longe vejo estender-se a serra da Arrábida, hoje está competamente envolta em grandes nuvens brancas, pesadas e maçissas que mais parecem tufos de algodão fofo e espesso!

Olho as nuvens passar, ganhar formas, desfazerem-se e ganhar formas novamente...suspiro! Tento afastar os demónios que teimam em rondar esta cabecita e concetro-me nas nuvens. Os olhos nem pestanejam...

Penso em como um fim de semana e uma semana em família me conseguem atormentar e dar cabo da tola. É bom estar com eles, com aqueles que gostamos, é bom mudar de dares e encontrar alento naqueles que são sangue do nosso sangue e nos compreendem e mimam como ninguém, é bom rever pessoas que só vemos de vez em quando e os amigos deles, velhos conhecidos...Mas esta história de juntar muita gente num espaço durante alguns dias tem muito que se lhe diga!

Concentro-me novamente nas nuvens, mas vem-me à memória a ultima e mais freca noticia de familia...

Uma das primas mais novas (que ainda se encontrava naquela fase de estuda não estuda, acaba não acaba a faculdade...) a completar esta semana mais uma primavera na casa dos 20 e poucos, tomou uma decisão de mudar de vidinha ao decidir juntar os trapitos com o namorado de pouco mais de 1 ano. Os dois acabam de alugar uma casita nos arredores de Paris e preparam tudo para tornar mais apetitoso o seu ninho de amor...

Fiquei feliz como é obvio (ela é praticamente minha irmã mais nova, sempre muito chegada e muito dada, passando momentos de férias em minha companhia quando era criança), e apressei me a congratula-la e a desejesar-lhe o melhor....

Mas esta noticias deixou-me algo pensativa... na altura mordi o lábio nervosamente e brinquei com o facto de ser o "ultimo dos moicanos", a resistente que teima em permanecer em casa dos pais. Os que não estam casados ou juntos, estão independentes, têm a sua carreira, a sua casa, solteiros ou com namorados, estão independentes e levando a vidinha alegres e contentes!

Chega-se a brincar comigo e com esta questão de ser um a espécie de tudo em 1...a sem emprego, sem casa propria, sem carro e sem namorado...grrrrrr!

Coriosamente dei por mim a afastar a ideia e a despreocupar-me do não ter namorado, mas a ficar anciosa com a ideia de não conseguir sair de casa dos pais, começa a fazer-me "fronecoques" na tola. Chego-me a sentir pior que a Miss Bridget Jones, tirando a parte do alcool, dos cigarros e do sexo desenfreado com o Daniel Cleaver....hmmmm?!!! Como um tal fantasma do passado..."sem sexo, cigarros e alcool, não podes mesmo ser a Miss Jones!!!"

E não é que ele até tinha a sua razão...Duhhhh amigo! Duhhhh...olha olha....duhhhh (e agora imaginem-me qual puto de 5 anos a fazer aqueles salamaleques enquanto digo isto). Pois nessa parte até tens razão, mas a personagem da Miss Jones tem tudo a ver comigo...senão vejamos: mulher "rexonxuda", desajeitada, trapalhona, solitáriamente solitária e com o sindrome do patinho feio, insatisfeita com a vida e com os homens e com uma familia de loucos...especialmente a mãe que passa os dias a tentar arranjar-lhe marido!

Tcharanzeeiiiiii.....Sou eu! "Hmmmm???!!! Mas espera...."(penso para comigo) esta parte até pode ter o seu interesse, desde que ela me arranje um Marc Darci assim tão jeitoso, bem posto, bem de vida, culto, capaz de me satisfazer todas as minhas "madurezas"... Até que não me importava nada mesmo nada, que fosse um tanto ó quanto sério e usasse uma camisola com uma rena de nariz vermelho...

O que uma mulher se sujeita!!! Adiante....

Estou a ficar realmente farta desta vidinha. Tento levar tudo na descontra, passei a semana ajudar com os trabalhos de arrecadar lenha para dias mais frios, limpar o pinhal do lixo que as pessoas vão deitando, dos restos secos e velhos das arvores e bati o recorde de elr um livro de uma enfiada em pouco mais de 2 dias, ora acompanhada de uma chávena de chá ora de uma macheia de M&M's que alguém me trouxe do lidl entretinha-me nos momentos a que a minha mãe gosta de chamar sabáticos...

Terão a ver com o meu gosto por Black Sabath??!! Hmmmm...foi só um aparte!!!  

Mergulho no mar de suposições para ver se descobro a solução mágica, o estalar de dos ou os pozinhos de perlimpimpim que me façam sair deste marásmo. As respostas aos anuncios parecem não surtir efeito e os meus pedidos de candidaturas expontaneas teimam em não ter resposta! Oh Life...Quero dar o salto, sair daqui, deixar para trás o que vivi...I Want a Life!!!

Ai...(suspiro longo e profundo) tenho mesmo que mudar de vida!

E se meter um anuncio no jornal ?!?!?! Seria algo do género...

Vida Procura-se!

Mulher determinada procura vida própria!

Terá que ter as seguintes condições:

Emprego - estavel, que dê vontade de acordar cedo todos os dias, onde possa usar o cérebro e todos aqueles conhecimentos que adquiriu ao longo de vasta vida académica, e com equipa de trabalho que de provas de não futilidade!

Casa - poderá ser apenas um T3 confortavel, espaçoso q.b., minimamente acolhedor e totalmente disponivel para sofrer alterações e extravagâncias desejadas.

Carro - modelo urbano, económico e facil de manusear.

Requisito opcional - Homem - Condição opcional de menor importância, contudo com alguns requisitos minimos...mais de 1,75m de altura, QI a dar para o alto e que consiga passar pelo menos 30min sem pensar ou pronunciar a palavra sexo várias vezes.

Oferece-se: quebra de rotina diária, humor, diversão, comida italina, muito ICE TEA, musica da pesada com fartura e a dar po lamexas também, simpatia, muita tagarelice e tranquilidade!

Favor enviar CV e respectivas fotos e plantas!!!

Oh Life...I want a Life!!!!

 

Beijos a todos os que me deixaram comentários e que me visistaram estes dias...desejos de uma excelente semana e cuidado com a chuva!

publicado por Paty a.k.a Wildflower às 17:40
sinto-me: Mandando Cv's...
música: Hard Rock Haleluja---Lordi

Novembro 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
29


subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO