Round and Round in Circles Over Life...

29
Jun 06

Após ter contado o que se havia passado num blind date, Miranda, acompanhada de suas amigas e do novo namorado de Carrie, houve um comentário do único homem presente. Ele é simples, directo e se meias palavras: "He is not that into you!". Elas ainda arranjaram desculpas para o comportamento do blind date e tal, mas o rapazito explicou-lhes a coisa do ponto de vista de um homem, e elas ficaram estupefactas.

Fiquei a pensar...

Tenho andado mais calma, mas bastante pensativa (para variar lol), dizem que o mês que antecede o nosso aniversário é o mês do balanço, o mês para ver o que falhou, o que aconteceu de bom, o que deu errado e o que tem de mudar...

Tenho pensado muito nisso...

Fui novamente atraiçoada pelo meu cerebrozito tosco, e tenho pensado no "Chris H.", gostava de saber como ele está, gostava de poder conversar, acabar com esta sensação ruim de que algo deu errado, de mágoa, pedir-lhe desculpa e dizer-lhe que está perdoado que a vida continua...

Enfim...

Esse episodio do Sexo e a Cidade levou-me a questionar se ele estaría assim tão into me, como eu estava dele...talvez me tenha deixado levar. Não sei...

A verdade é que percebo cada vez menos os homens...como é que raio havemos de saber se estão assim tanto afim, se querem ou não querem...como é que se percebe o que eles querem se mandam sms, se falam, se dizem coisas queridas, se dão toques e tal, mas depois ao mesmo tempo são desligados, passam dias sem dizer nada, nunca têm tempo para sair e têm sempre imenso trabalho. Fiz sempre um esforço enorme para dar o beneficio da dúvida e não agir logo com duas pedras na mão e meter tudo no mesmo saco...talvez por isso me tenha custado tanto.

Então como é que se percebe se ele está ou não interessado, se ao mesmo tempo existem atitudes que nos fazem pensar o inverso???

Por outro lado tenho dado por mim numa fase estranha e confusa...estou só sinto-me algo só até comigo mesma, mas descobri que ainda estou a apanhar as peças da história com o "Chris", ainda estou a tentar perceber o que se passou apesar de já terem passado 7 meses, apesar de já ter desistido, de ter chegado ao fim da linha...não é de um dia para outro que alguém se recompõem.

Por isso estou-me a recompor, tenho de estar bem comigo e só comigo, para me dar aos outros sem confusões. Mas as pessoas não entendem isso...

Depois surgem algumas situações que me deixam desconfortavel, aliás isso não é de hoje e foi sempre assim...Se conheço recentemente alguém, que falamos 2 ou 3 vezes, que mal sei quem é, e começa numa de me pressionar de querer avançar e é logo tudo assim, tudo muito rapido e muito facil, quando acabei de dizer que estou bem e tal, que estou a dar tempo ao tempo, que me estou a restabelecer de uma situação dolorosa...

ORA FAÇA ME UM FAVOR!

Estou sozinha...não desesperada! A coisa que uma mulher tem de mais fácil é sexo, aliás hoje em dia é o que temos de mais facil e mais imediato...sexo, sexo, sexo. Não é mau querer sexo só por prazer, mas não me convidem para jantarzinhos quando não conheço a outra pessoa, quando fica no ar algo do género...então encontramo-nos e tal e depois logo se vê o que é que dá, e como as coisas correm daqui por diante!

DESCULPA??!!!

Fico a sentir-me como uma mercadoria ou boia de salvação para gente solitária e necessitada de companhia. Comigo não funciona assim...tlavez por isso seja uma eterna solitária.

Bom uma coisa é sair, que já me aconteceu, sair com alguém numa de beber um café, ou um copo, dar dois dedos de conversa e conhecermos a outra pessoa melhor, não há mal nenhum...e se houver quimica, se houver interesse e se acontecer algo mais, pois muito bem!

Agora não ponho mais a carroça à frente dos bois... 

Tenho conhecido tanta gente, tenho encontrado tantas pessoas interessantes, que surgem na minha vida naturalmente...para quê forçar! Para quê ter atitudes percipitadas, desesperadas, para quê? Gosto de calma muita calma (outra coisa que aprendi com o Chris...mas neste caso a calma foi tanta que descambou!), gosto que respeitem os meus momentos, a minha vida não é só andar ai a ver se pega, tenho problemas demais e coisas que resolver primeiro...

As vezes não considero ter atitudes muito normais, se calhar até era susposto aceitar estes convites e enrolar-me logo e tal e tava feito, não recuso os convites, mas quando começo a dizer então porque não um café ou algo mais simples, começam-se a passar??!!!

Será que sou mesmo assim tão esquizita??!!!!

Ai que estou tão fartinha...tão fartinha...humpf! Bah! Grr...

"Só me calham duques e damas tesas...!!!"

 

publicado por Paty a.k.a Wildflower às 11:27
sinto-me: Grrrr....

25
Jun 06

Uma menina às direitas também tem o direito de ter os seus sonhos...calientes...não tem? Ontem ouvi (já não sei a propósito de quê) alguém dizer que todas as mulheres conseguem ter um lado (que não mostram) mais atrevido, mais erótico, picante...o lado onde perdem a compostura toda e se revelam umas autenticas "Femmes Fatal"!!!

Pois tenho me lembrado de alguns momentos que me fizeram descobrir esse meu lado adormecido, a história com o "Chris H.", foi pautada por muitos momentos assim calientes e embora não tivesse existido proximidade íntima, a verdade é que nos ligavamos de uma maneira que quebrava tudo e às tantas quando davamos por nós estávamos perdidos em conversas calientes, em devaneios, em filmes que gostavamos de partilhar...infelizmente a realidade foi bem diferente!

Desde cedo descobri este meu lado mais sensual, mais erótico...

Li o "Ultimo Tango em Paris" era eu uma teenager inconsciente, coriosamente já não achei piada ao filme, mas a verdade é que livros como este, filmes e séries de televisão como os "Red Shoes", faziam-me libertar a imaginação, mexiam com a minha criatividade, com a minha libido. Naquela altura escrevia...às escondidas, à noite passava algum tempo a escrever. Parecia-me tudo tão disparatado...

Quando entrei para a faculdade deixei tudo de lado.  Passei a focar-me no meu principal objectivo, os estudos, e esqueci que também é preciso amar e deixar-se ser amado. Deixei também de escrever...

Conhecer o "Chris H." numa época conturbada, num final de faculdade que teimava em não acontecer, numa montanha russa familiar, foi bom...quer dizer, acho que foi bom. A principio as conversas não passavam disso mesmo de meras conversas...um ano e tal depois eu começo a descobrir sentimentos, a ter medo, a retrair-me, a impor uma barreira à minha frente. Tudo caiu, eu desisti...o coração abriu-se de vez, os braços abertos, a mente liberta, decidi ir em frente.

Perdi a vergonha de dizer aquilo que me ia na alma, as conversas começaram a tomar um conteudo diferente, mais quente, mais profundo, mais intimo...

Recomeçei a escrever....

De vez em quando, partilhava excertos com ele e sonhavamos os dois. Nunca pensei qe tivesse a capacidade de gerar erotismo, nunca pensei ter esta carga erótica, esta sensualidade, este fogo...Ao mesmo tempo descobri que afinal não sou mais do que uma romântica incuravel, que sexo sim com muito erotismo, sem tabus e muita dose de amor romântico, que transcende o fisico e o carnal...

Não consigo ver alguém pelo puro prazer sexual que me pode proporcionar, não consigo me entregar a alguém de quem não goste, que não mexa comigo, que não me tire do sério...

E será que é verdade a questão das mulheres associarem sempre as duas coisas? Será que a mulher procura sempre o sexo e o amor, mesmo numa relação ocasional? Ou será que ela consegue se desprender do seu lado passional e emocional e ter sexo puro e duro sem pensar nos sentimentos, sem desejar ter aquele homem a outro nível sem ser o carnal?

Sei que parece muito "Old fashion"...

Esta coisa das relações tem dado cabo de mim...penso porque é tão dificil relacionarmo-nos com alguém, que quem inventou o amor devia ser banido do planeta, que é tão dificil manter na nossa vida aquela pessoa que amamos de uma forma profunda, aquele que desejamos ter, aquele que nos provoca pensamentos eróticos, que nos dá voltas á cabeça, que não nos deixa dormir, aquele de quem continuamos à espera, aquele que não deixamos de amar nunca...

Pena não poder voltar atrás, pena não conseguir encontrar ninguém que me faça sentir o mesmo, pena sentir este vazio e sentir que a barreira se fechou de novo...

UMA BOA SEMANA A TODOS....COM MUITO EROTISMO, MUITA PAIXÃO, MUITO AMOR.

 

 

publicado por Paty a.k.a Wildflower às 15:22
sinto-me: OK

22
Jun 06

Chega o mês de Junho e é isto...passamos um mês em bailaricos, arraiais, sardinhas e sangria. Passamos salvo seja, porque eu continuo a vidinha de sempre chata e comprida como o peixe espada...

O Santo António já se foi. O lisboetas lá gozaram a bela da noite, as noivas em directo na TV, depois as marchas em directo, a euforia total. O que vale é que no santo antónio é o dia que a minha mãe faz anos, então fazemos sempre almoço ou jantar em familia, com direito a velinhas e bolo e champanhe...sim porque aqui em casa ninguém passa o aniversário sem apagar as velas...eu bem tempo passar disfarçada mas não consigo.

É chegada a vez do São João carago! E se para a maioria o santo antónio é o santo casamenteiro....pois desenganem-se, esse gajo anda de castigo (salvo seja o castigo segundo dizem é ter a estatueta dele de cabeça para baixo e virado para a parede) o meu lá está....o cromo não ouve nada do que lhe digo! Raça....

Adiante...

Desde miúda que ouço sempre a mesma lengalenga. Quando começámos a ficar crescidinhas e mulherzinhas, eu e a minha irmã mais velha ouviamos a minha avó e a minha mãe contar histórias de outros tempos, de como se passavam estes dias de festa. Ao que parece as jovens mulheres no são joão é que tinham essas superstições de arranjar maridos e noivos e tal...

A sabedoria popular dizia, que a meia noite (de 23 para 24) a jovem solteira deitava num copo com àgua um ovo (não inteiro pois tá claro...literalmente abriam o ovo lá para dentro!), deixando depois ao luar o resto da noite. Na manhã seguinte, pois como é de imaginar, era histeria total, com as moças a tentar perceber que raio de sorte o São joão lhes tinha ditado. Confuso não é???

Então é assim...depois de deitado o ovo no copo de àgua e passado ele a noite ao luar, o ovo vai se defazendo e tomando umas formas estranhas...tipo bonecos!!! Supostamente, diziam que se consiguiria adivinhar o futuro noivo porque o ovo mostraria o que ele era na realidade. Confuso na mesma não?? Passo a dar o exemplo e agora entramos na "twilightzone"... preparem-se, porque é muito spooky...

Ora então a minha avó, que segundo ela nunca acreditou muito nessas conversas, decide um belo dia deitar o ovo...resultado, no dia seguinte quando viu o ovo pensou para consigo que aquilo era tudo muito estranho, mas comentou com as mulheres lá de casa que aquilo parecia uma ponte, pois o ovo fazia um bicos (tipo ponte 25 de abril...não sei se me faço entender). O certo é que uns tempos mais tarde a minha avó casou...e o meu avó (que deus o tenha, lá bem num sitio lindo, um homem tão especial) era nada mais nada menos que um construtor de fundações, pontes, obras públicas e por ai fora....

 Hmmmmm??!!! Hmmmm...

Pois é! Outra das superstições de São João (e esta também é gira lololo) era novamente à meia noite, ou apartir dessa hora...a jovem moça solteira iria à janela para ouvir o nome do seu amado....ihihihihihihihhihiihihhiihi! Mais uma vez lá vem a historia da avó...spooky!!! Namorava ela um tal de António, quando se lembrou ela de ir à janela à meia noite. E não é que ela ouve gritar um nome de homem...

Mas não era o António!! Ficou furiosa a avozinha, pois pensava já ter encontrado o seu amado. "Qual Américo qual carapuça!" - Disse ela. "O meu namorado chama-se António..."

A Merceana e o Américo casaram, tiveram uma vida boa e feliz (com muitas coisas pelo meio como todos os casais), hoje a avó tem 90 e o avô se fosse vivo teria 96, formavam um belo par de jarras os dois...ai se formavam!

Feliz São João!

 

 

  

 

publicado por Paty a.k.a Wildflower às 14:51
sinto-me: Com a neura a ver se passa...

16
Jun 06

As palavras já não fluem tão bem como de costume, estou numa fase de silêncio...

Sinto que aquilo que digo deixa de ter sentido...

Tenho pensado muito nas pessoas que fazem parte da minha vida, das que fizeram e já não fazem mais, dos amigos que ficam pelo caminho...

Outro dia uma das poucas amigas que ainda resiste, dizia me que não posso me isolar, que tenho de sair...

Não gosto de estar com os meus amigos se não estou bem, se tudo aquilo que me sai boca fora é negativo, se só sei falar na falta de emprego ou nas desgraças cá de casa...

Até aqui já não consigo escrever coisas alegres, coisas bonitas sorridentes. Olhando para os post anteriores verifico que a menina triste e magoada consegue ser sempre maior a outra metade de mim....se calhar este espaço deixa de ter sentido....

A vontade de escrever, a inspiração também não é a mesma...

O vazio consegue ser maior...

O silêncio é maior, por isso talvez faça uma pausa, talvez parta de vez, talvez ganhe novo alento e mude...o silêncio neste momento é maior!

Até breve...

publicado por Paty a.k.a Wildflower às 12:31
sinto-me: Blue

14
Jun 06

A neura está mais levezinha...

Ainda assim continua a ser neura...isto da chuva de verão com trovoadas e relampagos não ajuda mesmo nada e eu acabo por ficar "carregada" de uma energia pouco animada. As coisas por estas bandas continuam complicadas, vidinha dificil problemas atrás de problemas...a falta de emprego começa a ser frustrante e preocupante...muito mesmo!

Finalmente chegaram as festas de Lisboa, os santos populares...

Bom, não é que isso tenha vindo animar mais os meus dias...tirando as tréguas no dia de aniversário da minha mãe, estou literalmente de costas viradas ao mundo e com vontade de espancar o cromo do Santo António que no ultimo ano só me pregou partidas do coração...

Oh Amigo! Não era suposto zelares pela felicidade dos sequiosos de um par???!!

Humpf...Bah!!! Adiante...

Estes dias de neura também me deixam mais introspectiva, mais observadora e reservada...tenho reparado mais nas pessoas, em silêncio cruzo-me com tudo e reflicto à cerca de algo...

A reflecção consegue ser uma coisa tão interesante e tão reveladora...

Outro dia ia pela baixa fora, conversando com os meus botões e reparando nas pessoas que passavam por mim...gostei de perceber a miscelania que havia à minha volta, casais atipicos, ela gótica, vestida de negro dos pés á cabeça, ele com ar franzino e "aparente neutro" descontraído, amigos de raças diferentes, de linguas diferentes...sorrindo.

Fez-me sorrir também aquela tarde...

Mas se há pessoas que me fazem sorrir...outras porém fazem-me baixar o olhar e quase chorar, é dificil passar por determinadas pessoas e aceitar a realidade em que vivem, é dificl ficar indiferente, não importa a raça, religião ou credo...doi ver uma alma sem tecto, sem rumo, sem dinheiro, pedindo esmola para matar a fome de um dia inteiro que tardou em chegar ao fim...

Não posso carregar o mundo às minhas costas, mas sempre me ensinaram a ajudar aqueles que mais precisam. É algo que tento fazer até hoje...

E não há nada que pague um sorriso de um principe do nada, alguém que vê em nós anjos da guarda, alguém que modifica a sua vida com uma simples ajuda nossa. Outro dia lembrei-me de duas gémeas que viviam perto de mim (quando morei nos arredores de Lisboa)...a minha mãe ajudou-as várias vezes quando eu era miuda. Batiam à porta e a minha mãe recebias sempre com algo, roupa, comida...

Hoje são mulheres, mães, senhoras do seu nariz...

Pouco tempo depois de termos mudado aqui para a margem sul, soubemos noticias delas e que estavam bem melhor na vida, estavam para casar ou já o eram...é essa a imagem que não esqueço e guardo sempre. Ainda que cada dia seja dificil ajudar quem precisa, fazemos o nosso pequeno esforço e de quando em vez lá nos aparece mais um enviado do "Grande Chefe" para ajudarmos...

Há quase um ano apareceu uma alminha que precisa de ajuda, uma mãe recente com uma criança para cuidar, quase sem familia em Portugal e com uma luta tão dificil...

A força dela é incrivel e ajuda-me imenso a acreditar que a vida apesar de tudo até pode ficar melhor, que sou uma priviligiada, que sou feliz. Tenho pena que ainda tenha que passar por tudo o que está a passar e tento acreditar num futuro melhor para aquele bébé...

Quero acreditar que o amor move montanhas, que o amor e o carinho com que ajudamos os outros faz toda a diferença, que o amor não tem fronteiras, barreiras ou obstaculos, que quando damos incondicionalmente, quando nos conseguimos libertar de todas as conveções conseguimos criar uma energia fantastica.

"Deixa a janela do sorriso aberta,

Coisa boa boa coisa desperta

Canta kaya, kaya nos liberta

Dá-me um bom feeling

Deixa de compliacação

Deixa de Confusão

Liberta a alma dessa prisão

Deixa-te guiar p'lo coração (...)"

publicado por Paty a.k.a Wildflower às 20:51
sinto-me: Nem sei...
música: "Bom Feeling" - Sara Tavares

11
Jun 06

Ai que o copo já encheu e não tarda transborda de vez...

publicado por Paty a.k.a Wildflower às 14:09
sinto-me: Nem queiram saber...

09
Jun 06

A neura finalmente chegou...

I'm feeling like an old pare of shoes...

Ninguém olha para uns sapatos velhos, pois não??!!

Porquê???

Há um par de sapatos que adoro, já estão um pouco velhos e gastos, mas são fantásticos para andar, dar longas caminhadas e passear...

É verdade que praticamente não os uso mais...

Adiante...

Tem sido uma semana de loucos!!! Ai quem me dera poder desaparecer...

Mãe doente, avó de 90 anos cada vez pior (bem isso já é normal), pai stressado, irmã em baixo desnorteada da vidinha...eu a desesperar!!!

Isto cá em casa é assim...quando começa uma coisa menos boa...vem tudo atrás!!! Há já uns bons anos que a vida não nos corre de feição...sinto que nos enfiamos num vazio imenso, numa onda de péssimismo colectiva que não conseguimos sair.

Este tem sido o ano das mudanças, dos balanços...

Queria ter aquele impulso de dar o salto, de quebrar a corrente e viver a minha vidinha como bem entendo, sem ter de aturar ninguém...dou por mim recentemente a pensar numa casinha só para mim, vejo propaganda, revistas e a parte de Decor cada vez me chama a atenção...acho que é desta necessidade de ter o meu espaço, de não ter de dividir nada com niguém de arrumar as coisinhas à minha maneira, de sair sem ter alguém que se preocupe a que hora chego e se chego bem...

Estou cansada dos dramas familiares, de ouvir resmungar que a vida está cada vez pior, que para o mês que vem temos a despesa não sei do que...

Quero um emprego, quero um trabalho, quero poder ter uma actividade profissional de que eu goste e que não me sinta obrigada a ter, só porque tem de ser...não quero ir novamente para um call center porque já estou à demasiado tempo sem emprego, quero poder trabalhar com pessoas competentes, ter um ordenado aceitavel, ter prazer naquilo que faço.

Sinto-me uma inutil...

Estar em casa já me dá voltas ao estômago!

Sinto-me frustrada por mandar CV's e não ter resposta, sinto-me imcompetente por ter as habilitações que tenho e ter pouca experiência profissional, sinto-me patética por chegar a esta idade sem saber que rumo tomar, que caminho escolher...

Estou num beco sem saída!

Ontem descobri uma pós-graduação na minha faculdade que tem tudo a ver comigo...quando vi o preço quase chorei de tão triste que fiquei. Se ao menos conseguisse um emprego tentava pagá-la a prestações...mas mais uma pos-graduação para quê?

Para quê investir em mim e naquilo que gostaria de fazer no futuro...se este país corta as pernas a quem gosta de trabalhar, a quem gosta de vestir a camisola por uma causa, um propósito e um objectivo...

Sinto-me navegar sem rumo, num mar de incertezas...

Sei que todo este sofrimento tem um propósito, o universo está a querer dizer-me algo, há uma lição importante que tenho de aprender...mas se paro para pensar desespero e acabo por cair em depressão!

Há dias em que me sinto sozinha no meio da multidão, outros que pareço sair à rua descalça e todos olham para mim com ar de critica mordaz...

Sinto-me arrumada a um canto, como um velho par de sapatos! 

Bom fim de semana a todos, Carpe Diem...

publicado por Paty a.k.a Wildflower às 15:59
sinto-me: Não queiram saber...

06
Jun 06

Hoje estou numa de escrever...

Paira no ar (aqui pelas minhas bandas) uma certa nuvem de neura...o que não é nada bom!

Afasto-a com pensamentos bons, com leitura, com idas á rua para fazer 500mil recados à minha mãe!!! Navegando na net encontrei umas imagens bem bonitas e esta especialmente fez-me lembrar de verão bom, de tempos de criança. Adoro cerejas, ainda mais de morangos...

E quando á dias de neura à uma coisinha que não pode faltar (ou por outra duas coisas!!!) zapping e escrita. Foi num desses zappings que fiquei embasbacada com algo. Já me doia o dedo de tanto carregar no botão do comando da TV, passava canal a canal sem encontrar algo que me prendesse a atenção...foi então ao passar os olhos pela MTV que reparei nesse programa fabuloso, dedicados aos Teen (já não lembro se era o Real World, se um daqueles de engate lololo), mas às tantas reparei na conversa entre um casal, na qual ele lhe dizia se ela conseguia dar o nó com uma cereja (isto tudo apenas com a lingua)...

O meu sobrolho levantou-se e um ar de espanto estampou-se no meu rosto...what the????

Segundo o rapazito, e ao que parece segundo um dizer made in USA ... saberás que uma rapariga é uma boa beijoqueira se (e imaginem bem!!!!) ela tiver essa brilhante capapcidade de elaborar um nó no pé de cereja, apenas com a sua lingua. Ou seja, a menina retem na sua boca a "cherizzeee" com pé e tudo, movimenta habilmente a sua lingua durante uns quantos segundos (para as mais atrapalhadas ou lentas uns minutos)...et voilá!

Estranho??!!! Acho que não vou olhar para as cerejas com o mesmo olhar....

E pensar que à uns anos atrás, qual menina "naife", eu brincava às princesas com a minha irmã e primitas, fingindo que as cerejas eram uns belos brincos...Bah! Naquela altura as brincadeiras inocentes só apontavam mesmo para tendências algo consumista e de bom gosto de gaja, as cerejas eram brincos...hoje em dia...ai ai ai!!!

Sinais dos tempos...

O que me leva ainda para outra questão pertinente e sinal de uma revolução ainda maior! Já no outro dia confesso que expressei algo do genero, mas novamente não vou resistir a tal descoberta...o que o tédio e a neura fazem às pessoas!!!

Estava eu novamente desfolhando uma das muitas revistas semanais que falam de tudo e de nada, quando tcharanzzzzeeee....mais um artigo revolucionario dedicado ao publico feminino!!!

 O assunto??!!

A moda do TupperSex....

Ao que parece, reinvintou-se a moda da reuniões femininas para venda de artigos, um conceito super difundido e adoptado  apartir mais ou meonos dos anos 60...desde cosméticos, a "tupperwears", trens de cozinha, etc. as mulheres reuniam-se para trocar ideias sobre beleza e vida doméstica.

Pois parece que alguém muito entediado (uma mulher neste caso), resolveu pegar nestes conceitos e criar uma inovação no mundo feminio. E qual a melhor coisa para fazer negócio senão o sexo??!!! Pois desde os EUA até à Europa o tuppersez virou moda e tem sido como uma lufada de ar fresco para todas as mulheres mais recatadas que existem por ai.

Agora imaginei euzinha a tentar conter o riso...

O artigo foi gargalhada geral, pois tentar imaginar um cinto de ligas em forma de mariposa estimulador, imaginar a reunião em si, o tipo de expressões, a cara de muitas senhoras àvidas de informação frequinha....até a minha mãe comentou o assunto e as duas rimos a bem rir!

Demais...

Sinais do tempo...confesso que me fez lembrar a minha primeira aula na primária sobre o corpo humano...em que passei o tempo todo a conter o riso e a minha colega do lado a dizer piadinha e rizadinha...escusado dizer que fui parar à rua e fiquei sem chegar á parte en que a professora explicou como é que nasciam os bebés...

LOLOLOLOLOLOLO...

Ai que naife era...que naife!

publicado por Paty a.k.a Wildflower às 15:53
sinto-me:

666...

Estrela de 5 pontas invertida...

O dia das trevas...

THE DAY OF THE BEAST!

Belzebu, satanás, chifrudo, cornudo, demo...

O senhor tem tantos apelidos, que já nem sei!!!

Adiante...

Tenho algumas superstições, é um facto, mas daí a acreditar que hoje estamos perante o dia do demo, o dia das trevas...naaaaaaaa! Aliás acho bastante piada a datas como esta e creio mesmo que elas se tornam em numeros de sorte.

06/06/06

Não é lindo?!

O dia de hoje recorda-me um dia especial do ano passado...

05/05/05!!!

Teve um significado muito especial...

Faz-me lembrar de um jogo do sporting (em que ganhamos, claro!) e de alguém que foi especial!

I wonder where is he now?

Adiante...

Acho que hoje vou jogar no totoloto, euromilhões, lotaria, o que for...

Afinal o 666 até me pode vir a dar sorte!

publicado por Paty a.k.a Wildflower às 12:02
sinto-me: The Beast..ahahahhaha

04
Jun 06

Parar é morrer! E o mundo não pára de girar, ele não pára só porque de repente eu me sinto parar no meio de toda esta minha  confusão...

A solução?

Não Parar! Levantar o queixo, fixar o horizonte e seguir em frente...

Sexta-feira passada fui às aulitas, ando entusiasmada com as aulas de laboratório, aquele stress da revelação da imagem é genial. Toda a semana houve greve dos barcos, portanto para me deslocar até a cidade tive de encurtar caminho e apanhar o autocarro que vai pela ponte. Como o "bus" fica no marquês bem no centro da cidade, faço o resto do percurso até à baixa da cidade a pé...ai adoro descender a avenida da liberdade a pé, falar com os meus botões, dar asas aos pensamentos e observar tudo à minha volta. Na sexta feira passada essa caminhada fez-me recuar aos Champs Elyses e ao meu verão passado em Paris...

Fez lembrar também que tenho de deixar a mania de fazer muitas coisas acompanhada, que não preciso sempre de companhia para tudo, posso estar bem comigo própria e com o mundo e ir até ao cinema sozinha (coisa que em tantos anos nunca gostei de fazer).

Sábado, fartinha de estar presa a convenções, correntes e ideias que só me enclausuram fui direitinha ao Forum para ver um filmezinho. Há muito que queria ir ver aquele filme, já tinha visto a apresentação uma série de vezes, já tinha chateado toda a gente possivel e a resposta era sempre: temos que combinar...temos que combinar!. Pois fui sozinha e acabou-se!!!

The New World...

Depois do post do meu querido Moko (e deixa-me que te agradeça por teres sido a gota que faltava) não perdi esta oportunidade de estar comigo e só comigo e ver um filme tão lindo, tão emotivo, tão sensivel, tão simples...brilhante! O filme não conto, só vos digo isso sim que vão ver se gostarem do género, prestem atenção e deixem que cada cena vos entre pelos sentindos e vos faça eco no coração...

Em mim, fez eco, arrepiou-me, emocionou-me, fez todo o sentido...sai de lá diferente!

....Como as àrvores! Alguns ramos podem até partir-se, mas elas continuam sempre a crescer fortes, em direcção à luz...   

Boa semana a todos!

publicado por Paty a.k.a Wildflower às 21:42
sinto-me:
música: Chill Out Music

Junho 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

12
13
15
17

18
19
20
21
23
24

26
27
28
30


subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO