Round and Round in Circles Over Life...

31
Mai 06

Nunez (Miami Ink) in Tattofinder.com

 Tatuagens

Mafalda Veiga e Jorge Palma                  

Em cada gesto perdido
tu és igual a mim

em cada ferida que sara

escondida do mundo

eu sou igual a ti

fazes pinturas de guerra
que eu não sei apagar

pintas o sol da cor da terra

e a lua da cor do mar
 

em cada grito de alma
eu sou igual a ti

de cada vez que um olhar

te alucina e te prende
tu és igual a mim

fazes pinturas de sonhos
pintas o sol na minha mão

e és mistura de vento e lama

entre os luares perdidos no chão

em cada noite sem rumo
tu és igual a mim

de cada vez que procuro

preciso um abrigo

eu sou igual a ti

faço pinturas de guerra
que eu não sei apagar

e pinto a lua da cor da terra

e o sol da cor do mar

em cada grito afundado
eu sou igual a ti

de cada vez que a tremura

desata o desejo

tu és igual a mim

faço pinturas de sonhos
e pinto a lua na tua mão

misturo o vento e a lama

piso os luares perdidos no chão

 A música já não é nova, gosto particularmente da letra. Ontem estava a remexer na minha gaveta dos CD's e numa das "minhas compilações caseiras" encontrei-a...sublime! Juntei-lhe uma foto de um dos senhores da série Miami Ink ( que passa no People and Arts) et voilá!

A arte, a expressão livre, as emoções estampadas na pele, desde sempre me chamaram muito a atenção...talvez um dia (quando perder a mariquice das agulhas), transforme a minha pele numa tela e nela espalhe as cores das emoções que me preenchem a alminha.

Gosto de ver um copro bem tatuado, gosto de ver as cores, as formas ganharem vida com os movimentos do corpo, é como um diário vivo de um pouco daquilo que a pessoa é ou sente. E uns ombros bonitos, masculinos tatuados, um homem sexy que consegue estampar na pele as suas emoções é ainda mais sexy...

Por outro lado, não gosto da tatuagem só como mero enfeite, não tem vida, não tem história, não tem cor nem significado...

É o que dá ver o Miami Ink...

publicado por Paty a.k.a Wildflower às 14:57
sinto-me: Tá se...

28
Mai 06

Foto by Eiko Hose

Silêncio, calma...

Afastei o lençol, os pés descalços tocaram o soalho quente do chão do quarto. Vesti o quimono e descalça deambulei pela casa sentindo o calor do dia que mal estava a começar. Por entre as persianas semi-abertas os raios de sol brilhavam pujantes e sorridentes.

Caminhando sobre as pontas dos pés descalços, abri as janelas da sala e deixei entrar o dia... "Bom Dia Alegria!" - disse para comigo mesma, ao mesmo tempo que exalava o ar que entrava. Cheirava a mar, a neblina, cheiro de terra vermelha, de ameidoeiras doces e figos maduros.

Da varanda enorme (que mais parece um terraço) não se vê o mar, mas o sol comprimenta-me de mansinho, sinto o seu gesto quente e gostoso descer sobre a minha pele branca e sorrio. Apanho o cabelo rebelde e desalinhado, o pescoço desnudo...

Pé ante pé, de mansinho...como um golpe fresco de ar, sinto a tua presença perto de mim. Beijas-me suavemente a nuca, acaricias-me o rosto e eu deixo-me enlevar no teu abraço matinal, com a certeza de que o amanhã não será igual.  

Acordo subitamente com a sensação de paz, de "borboletas no estômago", sensação de mar calmo e serenidade...a realidade atinge-me como um raio de luz! E é em momentos como este que percebo o quão longe os meus desejos estão da realidade, como este quadro edílico e de fantasia nunca irá acontecer...

É tão dificil encontrar alguém assim hoje em dia...é dificil encontrar alguém que consiga fazer-me sorrir de tontice, como uma criança despreocupada. Não acredito em contos de fadas, em principes encantados, daí talvez a dificuldade em me apaixonar...

Sabia-me tão bem a presença de alguém, um amigo, daqueles que nos fazem sentir especiais e que me fizesse olhar para frente e sentir que tudo vai ficar bem...

Boa Semana a Todos! Carpe Diem...

  

publicado por Paty a.k.a Wildflower às 19:28
sinto-me: Tá se...

26
Mai 06

Desde há uns dias para cá que tenho reparado um crescente de informação relativa às mulheres. Confuso?? Passo a explicar...

A semana passada desfolhava uma daquelas revistas semanais, que falam de tudo e mais alguma coisa e numa das páginas secretamente lá estava...uma crónica relacionada com mulheres. Uns dias mais tarde, ligo a televisão no final da tarde, ao assistir ao programa da Oprah...mais um tema pertinente sobre mulheres (que não é espanto nenhum por ser o programa que é), um dia depois logo pela manhã um dos programas matinais lá abordava mais uma vez uma questão pertinente acerca de mulheres...

Bem adiante....

O certo é que todos eles me fizeram pensar e matutar sobre o rumo que as mulheres têm levado e o papel que assumiram nos dias que correm. Qual Simone de Buvoire, qual Margaret Mead qualcarapuça (para quem não está a ver...estas duas senhoras são dois grandes nomes no femeninismo mundial) !! E se no tempo delas, andavam para lá aos magotes em manifestações e a queimar os "sutians", para chamar a atenção da condição feminina, hoje as mulheres quebram tabus, quebram correntes e levam a vida como bem entendem.

Cá pela nossa terra ainda andamos um pouco retardados, lolololo! As mulheres já saem da casca, já quebram convenções, mas são as mais novas (e bem se diga ainda "pitas" e teenagers inconscientes) que mais arrojo têm e mais se destacam pelas suas atitudes algo revolucionárias. Não critico ninguém....ainda assim o tal programa da Oprah que deu à dias veio levantar uma questão interessante e pertinente. Hoje em dia assiste-se à marginalização da mulher. Ou seja, mulher bonita e sexy é sinónimo de mulher burra e tontinha!!! Será?

Realmente tem se assistido a uma vaga de mentezinhas ocas por ai (muito populares e cada vez mais frequentes como alvo preferencial para alguns homens), o protótipo da Paris Hilton, bonita, rica, bem vestida, sexy e divertida está a ser adoptado por diversas jovens mulheres, como modo de provocar impacto no seu meio e ganhar assim muita atenção dos olhares masculinos. O que se diz disto é que elas aniquilam-se a elas próprias, colocando a máscara e descendo a um nível inferior, mais facil para conquistar as pessoas ao seu redor. Mas quem disse que bonita, sexy e inteligência não podem andar de mãos juntas? Ou porque é que uma mulher mais inteligente, embora menos bonita (que até pode ser sexy), não tem a mesma atenção que as outras que se impiriquitam todas, mas que têm a cabecita oca???

 Vejam o exemplo do Sexo e a Cidade (ok, ok é ficção!), mas elas são bonitas, são sexys e inteligentes e mais falam de sexo sem tabus....o que me leva ao inicio de outra descoberta!

Pois desfolhando uma daquelas revistas que falam de tudo e mais alguma coisa...encontrei no meio das crónicas sobre politica, um artigo sobre as mulheres e o sexo. Ao que parece um conjunto de mulheres decidiu formar o CAKE (www2.cakenyc.com), uma espécie de associação de mulheres que segundo elas é o conceito que melhor dignifica a liberdade sexual das mulheres. Através dos foruns online, eventos (como por exemplo: "Double your pleasure - from anatomy lessons to sexual fantasies"...diz tudo não diz!), newsletters, etc. esta associação/empresa pretende criar um ambiente saudavel onde as mulheres podem exprimir livremente as suas opiniões sobre a sexualidade feminina. Recentemente editaram também um livro cujo titulo sujestivo deixa adivinhar o seu conteudo: "A piece of Cake: Recipes for female sexual pleasure"

Hmmmm...

A mim quer me parecer que descobriram mais um filão de ouro, só penso é porque é que estas ideias não me surgem a mim...a esta hora estaria a "jiboiar" nas ilhas Fiji...

As duas ultimas conversas sobre mulheres surgem estes dias...primeiro num dos programas matinais de Tv e hoje ao ler o Blog da Princesa Virtual. No programa matinal da TVI discutia-se outro dia, sobre o facto das mulheres serem ou não fingindas, e no encalce disto hoje leio o fantastico post da Princesa, que tem tudo a ver! Mas ora vamos cá esclarecer uma coisa...

As mulheres não são fingidas, elas são isso sim camaliónicas, adaptando-se na perfeição às situações com que se deparam. Senão vejamos...de que serve à mulher barafustar e esperniar, se em vez disso ela pode facilmente obter aquilo que quer dando a volta ao texto, ou simplesmente aproveitar a brexa, que o homem num momento de fraqueza lhe proporciona??!!

Na minha opinião as mulheres não sabem mentir (pelo menos a maioria), o coraçãozito mole, a natureza verdadeira, impede-as de mentir, mas que sabem dar a volta ao texto na perfeição e encarnar o papel de sedutoras como ninguém, lá isso sabem!

 Esta conversa toda só para não dizer nada...só para manifestar a minha opinião de que mulheres podem ser sexy, bonitas e inteligentes, podem ser inteligentes e sexys apesar de não serem nenhumas estampas, podem ser atraentes na sua maneira de estar e de se apresentar apesar de não serem ricas, nem dotadas de beleza exótica ou extravagante. Acima de tudo as mulheres podem ser aquilo que quizerem, desenganem-se quem vai pela via do sexo puro e duro, desenganem-se aqueles que desviam olhares de uma mulher pouco atraente, nunca saberão o fogo e a sensualidade que uma mulher pode ter.

E por fim desenganem-se os homens que acham que o aspecto é tudo, que conseguem ter mais entusiasmo, com uma mulher espanpanante, conheçam melhor uma mulher que à partida parece não dar uma para a caixa e verão como a imaginação dela, a criatividade, a sensualidade que ela tem dentro de si, podem torna-la no ser mais incrivel do universo.

Bah! Conversa, convers, conversa...Hoje deu-me para reivindicações!

Bom Fim de Semana a Todos!

publicado por Paty a.k.a Wildflower às 15:12
sinto-me:

24
Mai 06

Estou numa de tentar manter o alto astral...

Dificil!!!

Fiquei com as energias em alta com a maratona, "maneiras" que o óptimismo cresceu um bocadinho. Fico sempre desconfiada, quando as coisas correm muito bem, ou eu ando demasiado bem disposta. Sou bastante desconfiada, por isso quando ando demasiado entusiasmada...

Hmmm! É melhor conter o ritmo.

Anyway, não aconteceu nada de especial...continuo a manter a boa disposição e positividade, mas confesso que é dificil. Especialmente quando ainda vivo na casa dos papás que já estão a ficar um pouco velhotes, quando sinto que preciso abrir asas e voar, aventurar-me...

Hoje lá fui a mais uma entrevista...foi essa a surpresa da sexta feira passada, fiquei feliz e entusiasmada apesar de algumas suspeitas. Hoje as suspeitas confirmaram-se e eu já sabia ao que ia! O trabalho até me agrada é um sitio onde sempre quiz trabalhar e enquadra-se na minha área favorita que são os espectáculos. Ficaram de me ligar novamente...

O problema é que o trabalho não é fixo, só se trabalha quando há e recebe-se uma miséria a recibos verdes...para variar!  

Se a coisa for para a frente vou encarar como uma espécie de trabalho de verão...já tinha pensado ir lavar copos para um bar qualquer no Algarve...porque não este trabalho? Se fosse a algum tempo atrás começava logo a disparatar, agora já estou por tudo! A questão mais pertinente é o facto de não arranjar emprego só por arranjar...

As pessoas esperam que eu arranje um emprego das 9 as 6h, com ordenado fixo, se possivel acima do minimo nacional...o meu problema é que tive essa experiência durante 2 anos e jurei para nunca mais.

De regresso vinha no barco e a pensar porque é tão dificil trabalhar naquilo que se gosta???

Cheguei a casa moidinha...e farta de pensar na "bidinha" (esta tem direitos de autor ;p)! A televisão é um massacre para mim...já vi 2 vezes as noticias sobre a chegada dos dois maiores eventos deste ano...e de como estão as montagens, como será o espaço, como está a ficar tudo montadinho...luzes, som, palcos, bandas, alinhamentos....

Ai, ai ai...Olá ò vida malvada!!!

Dava as minhas horitas de sono "tudinhas" para andar lá no meio! Ora ver chegar o material "tudinho", ver ganhar forma, preocupar com a chegada das bandas, as acreditações, a segurança, os fotografos...depois os sound-checks, os ensaios, ver o recinto encher e não prestar atenção nenhuma aos concertos porque há trabalho para fazer, e no fim de tudo ter uma sensação enorme de cansaço e ao mesmo tempo de prazer porque contribui para que milhares de pessoas tivesse o seu momento de adrenalina, gozassem com energia e desfrutassem com prazer daquele espectáculo.

Keep on dreaming...tonta Paty que acredita ainda no coelhinho da Páscoa!!!

The sun is Warm...the grass is green...

Ohmmmm....ohmmmmm...ohmmmm...

 

publicado por Paty a.k.a Wildflower às 18:44
sinto-me:

22
Mai 06

Para compensar aqueles dias em que não acontece nada, este fim de semana foi sempre a abrir....

Pois é embarquei na aventura da 15º Maratona Fotográfica de Lisboa, na qual umas boas centenas de participantes tinham por objectivo passar 24 horas a fotografar lisboa. "A coisa" funcionava assim: de 4 em 4 horas os participantes dirigiam-se aos postos indiciados (posto após posto, pois não sabia os locais previamente) e nesses postos era nos dado a indicação de 4 temas que tinhamos que fotografar. Ao todo, eram 6 postos, 24 temas e 24 fotos (uma por cada tema, pois tá claro!).

Então 6ªfeira lá partimos as 20h. do Campo Grande em direcção ao desconhecido...

Durante 24 horas lá andei eu feita maluca, na companhia de colegas, nesta aventura de fotografar a cidade e lisboa. Entre os posto houve tempo para tudo...para um jantar com malta que não conhecia de lado nenhum, tirando uma ou duas pessoas; houve tempo para ir beber um copo ao bairrro alto, de ir a casa dormir uma horita, voltar ao posto seguinte, ir a casa de novo tentar dormir mais uma horita e tomar um "duxito", e regressar à bela Lisboa, misturar-me com os turistas, cruzar-me com os restantes participantes, andar na companhia dos meus dois colegas a quem agradeço a força e incentivo para não desisitir.

As fotos??? Não sei ainda os resultados...

A cacular pela concorrencia...as minhas devem estar uma bela merdaaaaaaa! às tantas já não sabia o que andava a fazer, fartei-me de fotografar vacas e mais vacas e tentar que elas fizessem sentido com os temas que eram dados. Houve animação em cada posto, comidinha, bailarico e por fim uma mostra de desportos radicais em plena baixa.

Foi cansativo...os prémios, nem penso neles...mas a experiência apesar de muittttttttooooooooo cansativa e muito stressante, valeu a pena!

Domingo para não perder o ritmo, fui ao cineminha que já não ía àaaaaaaaaaa seculos! Soube que nem ginjas apesar de não ter conseguido ver o tão famoso Código de Da Vinci. Vi a missão impossivel que me deu mais stress ainda, mas pronto!

Fez me tão bem andar perdida em Lisboa, ora sozinha, ora acompanhada...

Estou cheia de energia! Estou 80 finalmente e cheia de vontade de assim continuar...

Na sexta feira passada ainda houve tempo para mais uma surpresa....pode ser que finalmente seja o inicio de um novo ciclo tão esperado. Sorte e muita energia para continuar é o que necessito e mesmo que não seja bem aquilo de que preciso neste momento na minha vida, já será um começo...

A todos voçês que por aqui passam, obrigado pela força e pela amizade....desejo a todos uma excelente semana!!!

 

publicado por Paty a.k.a Wildflower às 16:15
sinto-me:

19
Mai 06

Se ontem, ou ante-ontem (já não sei) estava 8....lololo hoje estou quase 80

Estaria 80 se nos ultimos dias não tivesse sido subitamente apanhada por uma leve indisposição primaveril. "Merdadasnojentasarvoresranhosasquelargãoalgodão" já para não falar de "spmmauhumordegajaquenosfodeojuizomesames"...logo esta semana, logo hoje que tenho de estar 100%, para uma aventura...que não vou dizer!!!

Tenho andado muito 8, murxinha, murxinha que eu sei lá...mas isto não pode continuar assim!

Adiante...

Mudei o videozito, uma música mais potentezita, divertida...adoro os Darkness são das bandas recentes que trouxeram de volta aquele gostinho a rock puro, gostoso, divertido, misturado com todo o ar retro, letras melosas e disparatadas que até conseguem ser românticas. São muito boa onda...Se pensar muito neles volto a ser 8...lololo. Não posso ir vê-los ao Rock in Rio...buahhhh buahhhh buahhh, muito menos fotografa-los (que isso é que era!).

Adiante de novo....

Está quase a chegar o verão...a mim parece que já chegou! O calor começa a apertar como o raio e as roupitas a ficar coloridas e mais leves. Andar na baixa passou a ser, mais ou menos como ir passear a outro país qualquer da europa...é só "bifes"! Lá andam eles vermelhos que nem uns tomates, da máquina em punho a ver a nossa bela Lisboa. Eu também heide de me misturar nesta bela Lisboa, shhhhh....

Talvez Domingo, talvez segunda, saberão desta minha aventura...

Wish me Luck...

 

publicado por Paty a.k.a Wildflower às 11:49
sinto-me: Quase 80
música: "One Way Ticket" by The Darkness

17
Mai 06

Memórias, lembranças, desgostos, amores, alegrias...são tatuagens gravadas para sempre guardadas, simbolos da nossa vida.

Maio tem sido em mês dificil...

Maio foi o mês que há uns anos tudo mudou, em que o amor chegou disfarçado de amizade...

Ninguém pode ocupar este vazio que me preenche...a resposta está em mim e nas consequentes atitudes que tenho que tomar. Mudanças radicais aconteceram nos ultimos meses e chegado o meio do ano é sempre tempo de perceber como estarei a ir, o que tenho que mudar...Tem de mudar tudo afinal...

Prometi a mim mesma que não voltaria a falar do "Chris H." nem da malfadada história que se passou entre nós...ou por outra,  aquilo que não se passou. Aos poucos percebo que foi um amor não correspondido, a aproximação de duas pessoas que estavam a passar momentos dificeis, que aproveitaram o apoio e o carinho desprendido de quem mal se conhece para curar algumas feridas. Para mim acabou por se tornar numa tatuagem profunda...

Ainda me faz chorar...

Tantas vezes fingi que não sabia que um dia a historia ia acabar assim...coriosamente era nessa alturas, que conseguia subir ás nuvens esquecer tudo e simplesmente amar alguém que eu mal conhecia. O "Chris H." fez me rir como uma criança tantas vezes, fez me dizer disparates, "tonterias" de menina apaixonada, fez me soltar o fogo e dizer em voz alta a força do meu desejo, coisas que hoje me embaraçam, por pensar que me dei a um desconhecido, da forma que dei e sem pensar.

Mas fez me sentir mulher tantas vezes, mesmo sem um único toque...

Foram estes contratempos da vida, as marcas de uma familia em dificuldades, a luta por manter a sanidade e tantas outras coisas que nos afastaram de vez, apesar de cá dentro eu saber que os nossos caminhos não se íam cruzar no futuro.

E foram os contratempos do destino ou o futuro, que também me privaram da presença de tantas outras pessoas, muito cedo...a vida com os seus obstaculos e constantes mudanças fizeram me deixar para trás amigos de uma vida, pessoas que às vezes pareco reencontrar no meio dessa multidão.

As pessoas, os acontecimentos, marcam-nos...são tatuagens eternas, profundas!

Tento aprender com todas elas, sejam boas ou más...

E a todos aqueles que passaram pela minha vida e que eu não vejo mais, aos que já partiram, aos que conheço, aqueles que fazem parte dela, a todos o que virão...eu peço todos os dias a Deus e ao Universo que a vida lhes traga momentos e tatuagens eternas de felicidade!

 Obrigado a todos pelos comentários que me deixam...isto vai melhorar prometo!

publicado por Paty a.k.a Wildflower às 23:12
sinto-me:
música: "Tatuagem" - Mafalda Veiga & Jorge Palma

15
Mai 06

Praia dos Olhos d' Agua by Paty

Após caminharmos alguns minutos pelo pinhal, chegavamos finalmente ao barranco...

Era demasiado pequena mas às vezes fecho os olhos e lembro-me daqueles momentos como se fosse hoje. O meu avô paterno à frente, abeirava-se ligeiramente do caminho do barranco, sorria. Entre ele e a minha avó eu e a minha irmã. Já mais crescidinha, a minha irmã lá tinha que ir pela mão da minha avó, devido ao meu terror das alturas, mas às vezes ela lá tinha a sorte de ir às cavalitas.

Eu tinha sempre que fazer a minha "fita"...

Ele abeirava-se ligeiramente do caminho, (parece que estou a ver...)um caminho a pique no meio de um barranco entre a praia da falésia e a praia a que hoje chamam barranco das belharucas, os pés colocados minunciosamente um à frente do outro, com cuidado e atenção. Era um sufoco! Ainda hoje não me consigo abeirar daquelas falésias...

 Não havia ninguém....

A minha irmã é que adorava aquela festa, o meu avô agarrava em nós punha-nos às cavalitas e gritava:

"Arrrrr Puuurrrrrrrrrrrroooooooooooooo......!!!"

E nós a gostar daquela "coboiada", perdidas em gargalhadas repetiamos:  "Ar Puro Avô! Ar Purooooooooooo.....!"  Só o eco se ouvia, o vento devolvia-nos as palavras e as gargalhadas e sentia-se uma paz, que nunca mais fui capaz de encontrar em lado algum.

Ontem lembrei-me desta história...

Estou a precisar de paz, de comforto, de sentir o carinho e o calor de alguém que me consiga fazer sorrir como uma criança, preciso de esquecer que a vida às vezes tem um sabor amargo de fel. Preciso de me isolar naquela praia, perder-me no meio dos turistas, que azucrinam o espirito aos que lá gostam de estar na pasmaceira, preciso de resmungar que não posso dormir à noite com o vai e vem dos carros, das pessoas de roupas bonitas e leves, dos bronzeados verdadeiros a cheirar a creme solar e sal, tomar banho de mar, deixar os meus cabelos ondulados do sal, os olhos verdes sobressairem no bronzeado da pele...

I need the peace of my safe place in the world.... 

publicado por Paty a.k.a Wildflower às 19:04
sinto-me:

11
Mai 06

                                                 "Heart" By Paty 

Hoje estou assim sei lá...

Cada dia em casa é um sufoco a pensar onde irei a seguir procurar emprego...recuso-me a entregar as pontas e arranjar mais um emprego só por dizer que trabalho! Dois anos chegaram-me para vegetar em frente a uma secretária e onde não se pode ter nem liberdade de expressão, nem opinião própria!

Não é nada bom estar tantos meses em casa...

Começo a desesperar!!!

Anyway...

A propósito do episódio da "loira boa" no ínicio da semana, dei por mim a questionar-me sobre a minha vida sentimental. À partida era logo questão para ir até a ponte 25 de Abril e zummmba, de tão deprimente que é. Só posso estar a errar, devo ter o "busca pólos" mal direccionado pois a tendência é sempre procurar "figuras" um tanto complicadas. Depois analisei a questão do ponto de vista físico...tenho a tência para sucumbir fácilmente aos espécimes loiros e de olhos claros. Os antigos dizem que os homens morenos é que são de confiar, os loiros de olhos claros têm o seu quê de malvadez....por outro lado percebi pela ultima desgraça amorosa que tenho uma tendência a ficar cega de amores por gajos complicados,"ah porque eu sou meio esquezito, da tempo ao tempo, tenho um bocado receio de me apaixonar...", blá, blá, blá!

O mal é ter a mania e prepotência de achar que eu posso fazer de madre teresa de calcutá e ajudar o rapazito. A verdade é que isso até acontece...eu estou lá para o que der e vier, até que chega o dia em que ele já não precisa (recuperou o ego diabolico de volta para engatar as gajas todas) e pronto lá vem a velha história do "és uma querida, uma amiga especial e tal", mas daí a passar a acção, depois de se passar dois anos a ouvir promessas e frases carinhosas...tenham dó!

Felizmente que aprendi a viver com esta facada no coração, com esta dor, com esta desilusão tremenda que nunca pensei...nunca ninguém pensa não é verdade. Hoje em dia estou na boa, estou só, comigo mesma, enfiada na minha concha a tentar perceber qual é o caminho mais acertado para retomar a minha vida. Sei que se tivesse emprego, era mais facil não pensar no resto e estar ocupada, mas o tempo em casa passa devagar e eu sempre a pensar no que não devo.  

Os amigos afastam-se porque têm a sua vida e os seus respectivos, eu afasto-me proque não suporto ter amigos com "agendas para os amigos"...e acabo por ficar solitária e fazer tudo aquilo que gosto "on my own". Dei também por mim a pensar que estou a conhecer outras pessoas interessantes, talvez elas estejam só de passagem, talvez fiquem na minha vida por algum tempo e muitas delas tenho pena que não continuem...

Ai precisava tanto de arranjar um emprego...

 

publicado por Paty a.k.a Wildflower às 16:49
sinto-me:

08
Mai 06

Já trabalhava à alguns meses naquela empresa quando um belo dia me cruzei com aquela "figura"...era impossivel ninguém reparar em tal pessoa, pois destacava-se logo à partida no meio de tanto engravatadinho... assim como um lampião no meio da lagartagem!!!

Não foi própriamente a simpatia ou o sorrio que me chamou a atenção...

Naquela altura já tinha conhecido o "outro" e a coisa começava a tomar porporções maiores (pelo menos para mim...), obviamente não fiquei cega, muito menos morta...e continuava a aperciar um belo charme masculino.

E aquela era uma bela figura...ou por outra, aquele!!!

O look desportivo, ar descontraído, o porte atlético, os jeans meio retro entre o rock e o glam, a melena loira longa...longa!!! Notava se que já não era puto, ainda assim não deixava de suscitar alguma desconfiança e incredulidade perante os senhores engravatados e muitos sorrisos, ares de espanto e sobranceilhas levantadas por parte das senhoras (que eu geralmente via coxixar...mas que cá para mim tinham tanto calor quanto eu). O que me chateava era mesmo a falta de sorriso, o ar sempre contido e sério do rapazito...

Todos os dias de manhã (salvo seja porque os horáios nem sempre eram os mesmos) lá saíamos na mesma estação de comboios e também ele vinha da margem sul...era uma beleza começar o dia com tal visão matinal...Sorriso de orelha a orelha!

Nunca descobri o nome dele...

Pus-lhe a alcunha da "loira boa" às vezes também "gaja boa" e durante algum tempo lá nos cruzamos nós no refeitório, outras vezes na estação de comboios. Cheguei mesmo a ir ao mesmo tempo que ele (os dois rua fora) até a entrada da empresa...ora eu primeiro à frente, ora ele ultrapassando-me com o seu andar largo e apressado...e lá ia ele pela manhã, cabelo abaixo das costas meio ondulado, jeans apertados, realçando-lhe a formosura do rabiosque...e se ele tinha umas belas curvas!!!

Mais tarde descobri o departamento onde trabalhava e onde sempre sonhei trabalhar...foi um episódio cómico e embaraçoso!

Já tinha feito um ano de serviço, pedi a uma colega antiga na casa que me descobrisse como havia de fazer para entregar o CV naquele departamento. Após indicações da mesma, fiz o Cv,   juntei-lhe uma carta de apresentação e a seguir ao serviço, passei por lá para o entregar em mão. Como o edificio é complicado andei meia atrapalhada com as portas e os elevadores...mas lá dei com o sitio. Entrei e dirigi-me à pessoa que estava na secretaria que estava logo em frente...fui atendida por um rapaz e uma rapariga e expliquei-lhes de que se tratava. Tinha metido o subscrito dentro de um livro que lia sempre no comboio e naquele instante de tirar e não tirar o livro de dentro da mala (atrapalhei-me com as coisas) e vejo sair do corredor..."A loira boa"!!! 

Escusado será dizer que corei que nem um tomate, gaguejei para o rapaz que estava a falar comigo, entreguei-lhe apressadamente a carta, ele ainda me disse qualquer coisa, agradeci e sai com as hormonas aos pulos e um sorrisinho estupido xapado na cara!

Depois mudei de edificio...passei para um umas ruas abaixo, e de vez em quando lá calhava virmos os dois no mesmo comboio. Agora a volta era diferente...ele ia para um lado, eu para outro...cruzavamos invariavelmente e eu por detrás dos meus oculos escuros botava a postura mais sedutora e impretigada ao passar por ele.

Hoje vio de novo...ao pé da minha casa??!! Hmmm...a sobrancelha levantou-se ligeiramente!!! Ia a sair do banco, quando reparei naquela figura que me pareceu familiar...por entre os oculos escuros rebolei o olhar na sua direcção...era mesmo ele! Sorri.

E à medida que atravessava a rua pude reparar pelo canto do olho que ele reparou...como quem diz: "Olha esta cara...???"   

Foi bom ver hoje uma carita laroca e lembrar-me daquele rabiosque tão formoso...

publicado por Paty a.k.a Wildflower às 22:14
sinto-me:
música: Wild Thing...

Maio 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
12
13

14
16
18
20

21
23
25
27

29
30


subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO